Séries

Game of Thrones: 2ª Temporada (2012)

• A temporada do anão maneiro

Já vou falar desta segunda temporada, mas antes o mais importante: toca a música de abertura.

TAN-TAN-TANANAN-TAN TANANAAAAAN tan tananan tan tananan tananan tan tan TAN-TAN-TAN-NANAN-NANAAAAAN

Agora, depois desta reprodução perfeita do tema de abertura, vamos à nossa querida review.
A segunda temporada de Game of Thrones começa imediatamente depois dos eventos da primeira, mostrando por onde Arya anda depois de ter visto seu pai morrer a poucos metros dela sem poder fazer nada. Nas primeiras cenas ela interage com alguns ladrões, para em seguida cavaleiros do Rei chegarem e proclamarem que se o grupo dela entregasse Gendry, o bastardo esquecido, iriam ganhar prêmios e blá blá blá.
O plot de Arya é basicamente esse: andar meio sem rumo por Westeros, tentando encontrar algum jeito de ressurgir como uma fênix e sair batendo em todo mundo, como a boa lady que é. Não é o núcleo mais emocionante, mas é bem interessante observar o crescimento da personagem, sua relação com Gendry e os novos personagens que são introduzidos, sobretudo Jaqen H’ghar, o gênio dos três desejos.
Falando em personagens novos, Satãnnis Stannis Baratheon (o irmão mais velho do falecido Rei Robert) é apresentado como um aspirante ao Trono de Ferro, sendo que pelo fato de nenhum dos filhos de Cersei ser realmente filho de Robert, o trono passaria para ele, tornando-o tecnicamente o herdeiro legítimo. Mesmo assim, ele é chato pra caralho não é um personagem especialmente carismático, ainda mais ao lado da figura controversa de Melisandre, a bruxa vermelha sexy das trevas, “conselheira” de Stannis. Talvez o único que realmente inspire confiança é Davos Seaworth, o humilde conselheiro (desta vez no sentido real da palavra) do irmão Baratheon.
E continuando nos irmãos Baratheon, o mais novo, Renly, continua focado em conquistar o trono pra si, se aliando aos Tyrell (o maior exército do reino) e apesar de não ter porra nenhuma de legitimidade, representa uma ameaça à Joffrey e seus comparsas; Robb Stark continua na sua saga de vingança contra os Lannister, e com a ajuda de sua mãe Catelyn tenta descolar uma aliança com Renly; Jon Snow tá lá além da Muralha, e em seu caminho encontra diversos desafios (que sinopse de Sessão da Tarde); Theon Greyjoy volta pra sua casa, deixando Bran no controle de Winterfell; e Daenerys tenta buscar força e aliados para botar em prática seu plano de recuperar o trono que costumava ser de sua família.
O núcleo mais interessante pra mim foi o de Porto Real, com nosso pequeno grande Tyrion. Com sua esperteza e carisma que já conhecemos, sempre ganhando de Cersei nas discussões, ele lidera a temporada e os melhores momentos são os dele. Joffrey também brilha, sendo aquele filho da puta ser irritante de sempre, provocando a Sansa até não aguentar mais, e que é representado magnificamente pelo ator Jack Gleeson. Robb Stark também surge como um personagem foda, ainda mais quando tem que lidar com o peso da traição.
Em relação à adaptação do livro, a primeira temporada é muito superior à esta, o que foi o principal motivo pelo qual a nota foi menor. Ela chega até a ser um pouco lenta em alguns momentos, mas encaminha vários arcos que vão se concluindo com maestria e compensando pelas cenas mais paradas. O enredo continua firme e forte, e a produção da série também não decepciona nem um pouco.
Garanto que quem se amarrou na primeira temporada não ficará decepcionado com esta. Com a adição de outros novos personagens que não tinha mencionado, como Brienne, a guerreira gigante da Guarda de Renly, a série só ganha e por isso conquistou uma legião de fãs pelo mundo todo.

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Renly não deu importância ao ditado “fique de olho até na sua sombra” e se ferrou.
  • Tyrion tocando fogomaldito em geral foi épico demais.
  • A menina Arya podia ter pedido pra matar o Tywin né, vacilona.
  • Theon sempre foi um bostinha.
  • Nem sou muito fã da Dany, mas o Pyat Pree juvenilzaço veio tentar atacar uma Targaryen, coitado.
  • Robb foi bem burro matando o Karstark, podia simplesmente ter prendido ele ou sei lá.
  • Briennão moralizadora.
  • Jon 1×0 Resto
  • Palavra de mãe é sagrada, viu Robb?
  • Quase que o Tommen roda, kkkk.
  • Jorah mais friendzone impossível.
  • Pra eu me sentir melhor, confesso que digo a mim mesmo que torci pelo Tyrion na Batalha de Blackwater, não pelos Lannister.
  • Sor Rodrik e Meistre Luwin </3
  • Valar Morghulis.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Tyrion Lannister
Seria bem contraditório o título da review ser “A temporada do anão maneiro”, eu dizer que o Tyrion liderou o núcleo de Porto Real e não dar o prêmio pra ele. Seu jeito sarcástico e sua inteligência fora do comum, além do fato de ser totalmente desprezado simplesmente por ser anão, conquistam os espectadores facilmente, nesta temporada ainda mais.

Estudos apontam que qualquer um fica 200% mais badass quando possui uma cicatriz
Estudos apontam que qualquer um fica 200% mais badass quando possui uma cicatriz

+ Melhor episódio: S02E09 (“Blackwater”)
Um episódio praticamente todo focado em uma batalha, as cenas são de tirar o fôlego e a conclusão é sensacional.

A cara de quem não aguenta mais o Joffrinho
A clara expressão de quem não aguenta mais o Joffrinho

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?