Filmes

DCLeleco #06: Aquaman (2018)

• Divisor de águas

Tem gente que não foi feita pra cinema. Por incrível que pareça, algumas pessoas simplesmente não conseguem se comportar e ficar caladas por um período de duas horas. Apesar de ser uma experiência bem mais intensa do que assistir a um filme em casa, o cinema acaba sendo uma loteria. Sim, pode ser que você pegue uma sala de pessoas normais que foram lá só pra ver o que está sendo exibido. Porém, pode dar o azar de sentar ao lado dos indivíduos que eu chamo de Muriçocas do Telão. A muriçoca é indiscutivelmente o animal mais irritante do universo, por isso a denominação.
As Muriçocas do Telão podem ter diferentes faces. Temos os Piadistas, que não importa a cena, eles sempre farão algum comentário supostamente engraçado pra “divertir” as pessoas ao seu redor, de modo que seus egos sejam inflados. Existem também as Matracas, as quais não conseguem segurar a língua e ficam conversando sobre todos os assuntos possíveis. Os Empolgadões também são uma das Muriçocas, mas são os mais inofensivos – apesar de reagirem exageradamente a algumas cenas, pelo menos eles normalmente sabem o timing dos momentos, ainda que isso possa se tornar chato. São muitas categorias, e quando fui assistir Aquaman eu tive o azar de ficar ao lado de um casal de Matracas.
Nos primeiros minutos de filme, a jovem matraquinha ficou conversando com o cara que provavelmente era seu namorado. Até aí tudo bem, pensei, agorinha eles param. Não pararam. A garota, principalmente, insistia em falar coisas que nem tinham relação com a obra, e até o companheiro dela pareceu um pouco incomodado. Eu, por outro lado, tava puto, porque eu não consigo prestar atenção quando tem alguém que não para de falar do meu lado. Perdi diálogos inteiros por causa disso, e demorei um pouco a entrar no filme. Depois de muito tempo, eles pararam de conversar, mas na reta final retomaram o diálogo. Então, com todo o meu carinho e minha delicadeza, desejo meus mais sinceros vão-tomar-no-cu para o casal que sentou perto de mim nesta data.

Não apenas uma Mera princesa

Agora que já dei meu desabafo, vamos logo ao que interessa. Todo mundo sabe e não vou ficar tocando nesse assunto toda hora pra não ficar repetitivo, mas o Universo Estendido da DC não tava em seu melhor momento. O fracasso de Liga da Justiça ainda era um forte baque num mundo meio desorganizado e sem rumo. A missão de Aquaman era muito mais difícil do que a de Mulher-Maravilha, porque precisaria suceder o longa que juntou os maiores heróis da editora, enquanto Diana Prince só tinha que superar uma equipe menor, a do Esquadrão Suicida. Apostando no carisma de Jason Momoa e no talento do diretor James Wan, a DC ganhou seu sexto capítulo cinematográfico. E, com o perdão do trocadilho, ele tem o potencial de ser um divisor de águas.
Arthur Curry foi mostrado pela primeira vez em Batman vs Superman, quando Diana deu uma olhada nos arquivos de Lex Luthor. Contudo, ele só foi ser introduzido mesmo em Liga da Justiça. O problema é que não foi muito bem explorado, não tava muito claro o que queriam fazer com o personagem. Para demonstrar de que material ele é feito, Aquaman opta por contar sua história desde o começo. Ele não enrola com sua vida infantil e adolescente, dá apenas alguns breves relances pra poder focar mesmo nele adulto, com a personalidade formada. A estratégia funciona e começamos a nos apegar ao protagonista, que foge totalmente do padrão da DC. O Superman, o Batman e a Mulher-Maravilha não são exatamente os mais brincalhões do mundo, mas o Aquaman é diferente. Ele não chega a ser um Homem-Formiga no quesito piadinhas, mas ele é obviamente um cara muito mais bem-humorado e real. Ele bebe cerveja, ele faz bagunça, ele dá uma sensação de realidade num universo mitológico.

Percy Jackson e o Mar de Monstros

O enredo é basicamente sobre os conflitos em Atlântida, a terra da mãe de Arthur. No momento, o Rei Orm (Patrick Wilson) tá querendo botar pra foder e declarar guerra à superfície, mas isso pode ter consequências desastrosas. Auxiliado pela Princesa Mera (Amber Heard), o Aquaman precisa achar um jeito de derrotar o monarca pra restaurar a paz nos mares e impedir que ela seja quebrada na terra. É uma simples jornada do herói, mas funciona belamente. Não sei dizer se é o melhor filme da DC até o momento, mas não tenho medo de afirmar que é de longe – e bota de longe nisso – o mais bem dirigido, com interessantes pitadas de terror, a marca de James Wan. As cenas de luta são espetaculares, a ambientação é de tirar o fôlego e o elenco tá muito entrosado, com veteranos como Willem Dafoe na pele de Vulko, Nicole Kidman como Atlanna e Dolph Lundgren como o Rei Nereus e o relativamente novato Yahya Abdul-Mateen II como o Arraia Negra.
Ainda que Aquaman peque numa trama não tão original assim (a gente sabe exatamente o que vai acontecer desde o início), ele compensa essa falha com uma localidade ainda não explorada na área de super-heróis: o fundo do mar. Além disso, é um tapa na cara de quem acha que a DC é obrigada a fazer somente coisas sérias. Dá pra ser diferente do estilo Marvel ao mesmo tempo que é possível entregar um bom entretenimento. E essa, sem dúvidas, é uma das maiores qualidades do novo filme.

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO O FILME. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Quando apareceu o Michael Beach no começo (aliás, em um filme do Aquaman um ator ter o sobrenome Beach é algo bem irônico), eu pensei que ele seria super importante. Pra quem não lembra, ele fez o T.O. em Sons of Anarchy e o Pike em The 100. Quando morreu pouco depois de ser apresentado, eu fiquei “ué”. Mas pelo menos ele foi relevante pro desenvolvimento do Arraia Negra. Aliás, não tô lembrando agora, mas eles chegaram a mencionar o nome verdadeiro do vilão? Ah tá, olhei aqui, é David Kane.
  • Bicho, logo naquela primeira cena de luta com a Atlanna chutando bundas já deu pra perceber que as coreografias seriam incríveis. E o modo como o James Wan as conduziu foi notável, bem diferente do habitual. Isso ficou claro também na primeira briga do Aquaman, mostrando um estilo violento e carregado que me agradou pra caralho.
  • Toda a sequência na Sicília, desde quando eles desembarcaram no lugar, foi provavelmente a melhor do filme. Eles correndo pelos telhados no estilo Velozes e Furiosos: Operação Rio, a Mera explodindo vinhos com seus Olhos Azuis da Justiça™ e a trilha sonora dando apoio foi da hora demais. E aquele riff de guitarra, que deve ser o tema de Aquaman, foi digno de nota.
  • Ah, muito boa a cena da galera abordando o Arthur no bar só pra tirar uma foto kk bem Marvel, inclusive.
  • O monstro Karathen é tipo um cover do Kraken, né? E achei muito massa ele não ser morto pelo protagonista, mas sim ter se tornado uma espécie de aliado.
  • Tava bem óbvio que a Atlanna tava viva, não acham? Eles não teriam escalado uma atriz do calibre da Nicole Kidman só pra ser uma secundária que aparece somente no primeiro ato.
  • Não sei por que, mas eu sinto que o Aquaman seria um parceiro particularmente massa do Superman ou do Flash. Acho que sua veia de humor encaixaria com a de Barry Allen, e seu poder se assemelharia ao de Clark.
  • Porra, o Rei Orm/Mestre dos Oceanos era um dos guerreiros mais impressionantes dos mares e foi escoltado por somente quatro stormtroopers aquáticos? Eu teria dado uma guarda de uns doze.
  • Orgasmos e mais orgasmos foram despertados quando Arthur apareceu com o traje clássico. Ah, e o filme faz muito isso, né, de botar várias cenas que obviamente foram feitas pra serem memoráveis. Dedo do diretor, assim como os momentos de jump scare e os slow motions na medida certa. Ouviu, Mulher-Maravilha?

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Aquaman
Mesmo que seja um mestiço, ele é provavelmente um dos heróis mais humanos apresentados pela DC até aqui. E a interpretação de Jason Momoa deu brilho ao personagem.

Khal Drogo conversa com o Duende Verde enquanto Baja Miller observa

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?