Séries

Lucifer: 3ª Temporada (2017/18)

• Loop infernal

O alicerce da filosofia sempre foi questionar o porquê de tudo. Ah, por que o céu é azul?, por que a gente não flutua?, por que a CW ainda não cancelou Supernatural?, esse tipo de pergunta. A ciência chegou para trazer as respostas, mas pra que ela continue tendo sentido, a filosofia deve continuar fazendo indagações. Respostas não têm sentido sem as perguntas, mas perguntas têm sentido sem as respostas. Com essa lógica, eu dou aqui uma de filósofo e pergunto: por que diabos as empresas constroem temporadas com mais de 20 episódios? Beleza, Newtão, cê descobriu a gravidade, e muito bem, Einsteinzinho, cê sacou todo o bagulho da teoria da relatividade. Porém, quero ver quem vai me trazer a resposta pra minha pergunta. Tá, eu sei que é por causa de audiência, mas mano, preciso deixar meu desabafo aqui. Bom, sem mais delongas, aqui vai a crítica da terceira temporada de Lucifer, a última sob a tutela da Fox. A partir de agora, com o apelo dos fãs evitando o cancelamento, a série vai ser desenvolvida pela Netflix e terá somente dez episódios. Deus é top.

 

Sinopse

Quando finalmente Lucifer Morningstar decide contar a verdade para Chloe Decker sobre quem ele é, alguém o golpeia na cabeça e a próxima coisa que descobrimos é que ele foi abandonado no deserto com suas asas de volta. Beleza, eu fiquei frustrado pelo fato de adiarem o momento de revelação, mas, como jogaram um mistério na minha cara, resolvi perdoar. A terceira temporada de Lucifer começa imediatamente depois da segunda, com o protagonista confuso após o retorno de sua forma angelical. Ele retorna para Los Angeles e começa a investigar que merda que aconteceu, e pouco depois um novo tenente dá as caras na delegacia: Marcus Pierce, interpretado por Tom Welling, o icônico Clark Kent de Smallville.
Pierce é aquele cara durão e inflexível, mas ele vai ganhando cada vez mais importância à medida que o mistério do sequestro de Lucifer converge com crimes sob a supervisão do Departamento de Polícia de Los Angeles. Acontece que um novo vilão surge, com a alcunha de Pecador. O anjo caído e agora levantado descobre que ele foi o responsável por tudo que aconteceu entre o último episódio da segunda temporada e o primeiro da terceira, por isso começa a ir atrás do misterioso antagonista. Com a ajuda de Pierce, que parece ter um passado enigmático com o Pecador, e sua parceira Chloe Decker, Lucifer busca descobrir como é que um humano qualquer interferiu em questões divinas. Bom, esse é o panorama geral da primeira metade, mas não dá nem pra eu dar um sinopse da segunda porque senão estarei spoilando demais.

Pierce Jackson e os Olimpianjos

Crítica

A terceira temporada de Lucifer pecou em muitos aspectos, mas o principal eu já falei na introdução. Os produtores resolveram colocar malditos 24 episódios, além de dois capítulos extras que foram lançados depois da divulgação do cancelamento. Velho, como eu odeio temporadas longas. Elas não conseguem se sustentar. O enredo envolvendo Pierce e o Pecador fica firme durante a primeira metade, mas a cada capítulo ele perde um pouco de suas forças. Eu juro que fiquei muitos meses sem assistir direito porque simplesmente perdi o interesse. Com uma fórmula repetitiva, Lucifer começou a seguir um mesmo padrão de introduzir um novo crime e fazer com que o protagonista aprendesse alguma coisa com a resolução do mesmo. A história principal passou a ser engolida pelos núcleos menores e enfraqueceu-se, ganhando força somente na reta final, quando as coisas começam a acelerar.
A quantidade maçante de episódios não foi o único defeito. O ritmo ganhou tons novelescos e a série perdeu grande parte do seu charme. A falta de originalidade, algo presente em todas as temporadas até aqui, ficou ainda maior. Para piorar, isso acabou afetando os personagens. A sorte de Lucifer é que ele é interpretado pelo excelente Tom Ellis, que consegue contornar bem alguns momentos que tinham grande potencial de fracasso. Os outros não tiveram a mesma sorte. Maze e Linda caem de produção e Dan fica muito de lado. Amenadiel alterna entre bons e maus momentos. Charlotte Richards retorna, desta vez como humana, e tem um começo bem chatinho, mas evolui muito. Pierce é meio sem graça, mas acaba sendo um recurso interessante. Chloe não muda muita coisa. Além de Lucifer, a única personagem que fecha a temporada em crescimento é Ella Lopez, a detetive forense.

Ochloelus escuros

Veredito

Lucifer tem uma terceira temporada claramente inferior às demais. Se tivesse condensado sua história em menos episódios, poderia ter tido como resultado um ótimo conjunto, mas as coisas acabaram ficando arrastadas – e repetitivas, os takes com visão de cima da delegacia são uma prova disso. Ainda assim, o carisma do personagem principal e alguns arcos salvam o quadro geral. A reta final chama a atenção e alguns fillers conseguem dar um gás inesperado, com partes que realmente me deixaram com os olhos presos na tela da minha televisão. Precisei me forçar a assistir dos episódios 10 ao 20, mais ou menos, mas encerrei a season finale querendo mais.

Creed (2015)

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

{Nota nº 3: bateu aquela curiosidade de saber qual exatamente é a nota desta temporada, sem arredondamentos? Se sim, dá uma olhada aqui nesse link. Se não, pode dar uma olhada também: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/gabarito-do-leleco/}

 

~ NARRAÇÃO SPOILENTA: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Lucifer tá com as asas de volta, totalmente putasso com isso
  • Ele corta as asas fora, mas elas continuam lá
  • Cara diabólica sumiu, agora ele é quase um anjo completo e bendito
  • Ele tenta contar pra Decker, mas de novo NÃO DÁ CERTO
  • Tem um novo tenente, Pierce, que tem umas vibes meio Clark Kent, rs
  • O Pe(s)cador é o vilão misterioso, mandou sequestrar o Lucifer e matou uma galera lá
  • Amenadiel tendo apelido de Amen seria genial kk
  • O segundo episódio foi legal, com todas as piadas de micropênis
  • A Ella é uma gracinha, aff
  • Episódio focado na Maze, sempre bom. Ainda assim, foi um puta fillerzão
  • A série tá começando a ficar repetitiva. Em todo episódio, algum novo caso aparece, Lucifer tira uma conclusão precipitada, ele e Decker investigam e descobrem o culpado, ele aprende uma lição e os personagens são um pouco mais desenvolvidos. Se a terceira temporada continuar assim por muito tempo, as coisas podem ficar BEM enjoativas
  • Nunca entendo esse tipo de cena. O Tenente Pierce empurrou a Chloe e se colocou na frente pra receber um tiro por ela. Por que ele simplesmente não a empurrou e caiu junto com ela pra que nenhum deles levasse uma bala? Típica cena clichê de televisão só pra poder dar um impacto (edição: ao longo da temporada isso passa a fazer sentido, hehe)
  • Eu tenho um pouco de dó do Dan, todo mundo zoa ele kk
  • Charlotte voltou, mas não foi muito interessante não
  • Agora esse ep foi bom, realmente muito bom. Eu tô ficando com uma impressão cada vez maior que a Ella é Deus, por cada pequeno detalhe. O fato de ela mencionar umas vozes me fez ficar ainda mais assim. E ah, o retorno da Candy foi legal, e foi fofo o Lucifer com a Chloe no final, dando o colar com a bala de presente pra ela
  • Ok, agora ESSE foi o melhor ep até agora, envolvendo o Reese, ex da Linda. Muitos plot twists, lições de que o Inferno é feito pelos próprios humanos… muita reflexão. Mas fiquei pensando, e se uma pessoa realmente má morrer sem se arrepender e sem ter culpa? Ela vai pro céu?
  • Depois de eps bons, a série caiu novamente com um capítulo extremamente mais ou menos, clichê e com umas lições de moral bem fracas. A presença da Charlotte, que já não era tão legal como a Mãe, e agora tá pior, não ajuda muito. Sem falar na falta de carisma da Grazi Massafera. Tá ficando difícil
  • Apareceu o Sinnerman, que parece um ator de comédia de filme B, mas o fato dele ter arrancado os olhos, apesar de previsível, talvez pode fazê-lo subir no meu conceito
  • Ep 10 foi meio chatinho, Sinnerman e Chloe forçados, mas a revelação do Pierce ser o Caim foi totalmente inesperada pra mim
  • Capítulo de flashback, foi legal porque falou dos primeiros dias de Lucifer na Terra e tudo mais, o Amenadiel lutador de MMA, mas todo mundo quer ver o que aconteceu com o Tenente, né
  • Mais um episódio legal, Caim/Pierce fez um pacto com o Diabo pra tentar morrer. No restante do capítulo, a morte de um surfista qualquer e eu morrendo de dó da Ella triste porque o Tenente gritou com ela dizendo que ela fala demais. A Charlotte brilhou ao repreendê-lo, hihi
  • A melhor coisa do capítulo seguinte foi a vibe amorosa entre Lucifer e Caim, o resto foi normalzão
  • Dan quase conseguiu um ménage com a Charlotte e a Maze, imagina
  • Episódio basicão em que aparece o irmão da Ella e o Caim e o Amenadiel brigam por causa da marca. Charlotte vai à psicóloga
  • Tá ficando enjoativo toda vez os suspeitos dizerem “pera, Fulano (a) morreu?”
  • Episódio fofinho com a Chloe viciada em histórias de colegial e o Lucifer fazendo um pequeno baile pra ela. E ainda teve a treta entre Linda/Amenadiel/Maze
  • O Abel voltando e sendo mulher culminou num ep melhor do que os outros, e foi engras vê-lo como uma pessoa pervertida
  • Não é possível que só eu achei a Axara uma personagem muito boa e que teve mais química com o Lucifer do que a própria Chloe. E porra, a série tá virando novela, Maze e o arco com Linda e Amenadiel tá um saco
  • É uma pena, a terceira temporada virou um mero novelão sem criatividade
  • Ó, quanto mais a reta final se aproxima, mais a história volta a ficar interessante. Agora deu pra entender um pouco o lado da Maze, que ninguém a coloca em primeiro lugar, mas ainda acho que tá exagerando. Pierce tentou enganar a Chloe, fez ela se apaixonar e perdeu a sua Marca. Lucifer tá putasso com isso tudo
  • Faz tempo que não atualizo aqui, mas aconteceu muita coisa. Chloe aceitou se casar com Pierce mesmo depois dele ser cuzão com ela (bem forçado, por sinal), Lucifer ficou triste, se esquivando, teve despedida de solteiro em que a Maze tava um porre e alguns casos não tão interessantes. Esse ep 23 foi bem bom, a Charlotte brilhou e morreu com um saldo positivo, pra mim ela acabou evoluindo bastante. Ah, o Dan é muito subestimado e o Amenadiel é um ótimo personagem, tá brigando com Lucifer no posto de melhor. Agora, Caim matou Charlotte, Amenadiel recuperou as asas e Lucifer e Chloe se beijaram. Vamo ver o que vem por aí
  • Essa season finale foi espetacular, melhor ep da temporada. E eu nem sabia que era season finale. Maze matou geral e fez as pazes com a Linda, Amenadiel continua sumido, Lucifer matou o Pierce, teve momentos épicos com as asas e mostrou sua face pra Chloe, causando finalmente aquele momento de revelação. Tava demorando, né
  • Sobre esses eps especiais que se passam em algum lugar perdido da linha do tempo: acho que o primeiro deve ser depois da terceira temporada, analisando o cabelo da Maze. O outro pode ser em qualquer parte da cronologia. Ella é uma personagem muito fofa e ainda não sei o que achei da Ray-Ray/Azrael, poderia ser mais abordada. E pelo jeito eu errei no papo de que ela era Deus, droga
  • Muito legal o criador da história original, Neil Gaiman, fazer o papel do narrador, Deus. E foi um capítulo interessante, em um universo paralelo com Maze dentro de um culto, Linda uma apresentadora cuzona, Dan e Charlotte corruptos e um Amenadiel confuso. Bom, esse último não é tão diferente. De qualquer forma, queremos a quarta temporada, apesar de todos os pesares!

 

~ FIM DA NARRAÇÃO SPOILENTA. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Lucifer Morningstar
Apesar do lenga-lenga, não há como negar que ele evoluiu em muitos sentidos.

Uma foto sem camisa pra agradar vocês

+ Melhor episódio: S03E24 (“A Devil of My Word”)
Embora o capítulo sete, “Off The Record”, tenha sido unicamente espetacular, a season finale teve momentos mais impactantes.

Sex and the City (2008)

+ Maior surpresa: Ella Lopez
Ah, muito amorzinho. Sempre deixava as coisas mais legais quando aparecia.

“I <3 LA”? Não, irmão, “I <3 ELLA”

+ Maior decepção: Maze
Começou com o potencial de sempre, mas, em um enredo novelesco, protagonizou um drama fraco pros padrões da personagem.

Tragam minha Labirinto de volta!!

+ Mais subestimado: Dan
Vamo lá, estreia da categoria nova. Pouco respeitado e às vezes pouco desenvolvido, sempre que o “Detective Douche” ganha espaço ele mostra ter camadas bem interessantes e uma personalidade que deveria ser mais valorizada.

Observem a expressão de tranquilidade do ser humano

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?