Séries

Punho de Ferro: 2ª Temporada (2018)

• Legado de Ferro

Toda família tem sua ovelha negra. Não adianta negar, você sabe que é verdade. Com a Marvel/Netflix é a mesma coisa. Demolidor é aquele primo que passou no concurso que todos estavam querendo, fala três idiomas e está finalizando a faculdade. Jessica Jones é aquela tia simpática que as pessoas costumam gostar. Luke Cage é um outro primo, aquele que sempre teve potencial, mas que acabou se perdendo um pouco no caminho. O Justiceiro é o irmão descolado, que não tem como não curtir. Punho de Ferro é você, que costuma se sentir meio pra baixo no meio de uma família tão promissora. Agora vem o papo motivacional: Punho de Ferro conseguiu evoluir em alguns aspectos, e você pode fazer o mesmo! Infelizmente, porém, a segunda temporada, com dez episódios em vez de treze, consegue falhar mais que sua antecessora. Ok, talvez não seja um papo tão motivacional assim.

 

Sinopse

Meu nome é Danny Rand, protetor de K’un-Lun e inimigo declarado do Tentáculo. Acabei de resumir a primeira temporada de Punho de Ferro. Pra constar, eu nem achei ela tão ruim quanto todo mundo diz, só foi bastante mal produzida. Ainda assim, a história me prendeu e não perdi tanto o pique. Pra quem não lembra direito, no primeiro ano da série o bilionário Danny Rand (Finn Jones) voltou para Nova York depois de quinze anos desaparecido. Na realidade, ele esteve treinando em um monastério dentro de uma cidade escondida no Oriente. Ao fim desse treinamento, ele adquiriu os poderes do Punho de Ferro, uma mão brilhante que quebra tudo e foi conquistada após uma luta com um dragão místico. Pra completar, Danny é um exímio lutador de artes marciais. Na sua volta aos EUA, ele se depara com problemas dentro de sua empresa, conflitos entre pessoas muito queridas de sua infância, Ward (Tom Pelphrey) e Joy (Jessica Stroup) Meachum, e a ameaça do Tentáculo, idealizada na figura de Bakuto. Com a ajuda de Colleen Wing (Jessica Henwick) e o restante dos Defensores, Danny consegue derrotar o problema milenar do Tentáculo.
Com o objetivo de sua vida completado, o Punho de Ferro ficou à deriva. Qual seria sua missão agora? Ao final de Os Defensores, Matt Murdock pediu para que ele protegesse a cidade, e foi isso que Danny andou fazendo. Porém, ele também começou a ir atrás de qualquer pequena confusão pra justificar o uso de sua arma. Uma grande confusão, no entanto, surge quando seu amigo Davos (Sacha Dhawan) volta para NY na intenção de tomar o Punho para si, pois considera a vitória de Danny no passado, aquela que rendeu a habilidade para o norte-americano, bem injusta.

Cabo de Guerra: K’un-Lun Edition

Crítica

A primeira coisa que se nota na nova temporada é a evolução nas lutas. Palmas para o novo coordenador de coreografias, Clayton Barber, responsável por comandar a mesma área em Pantera Negra. Na temporada inicial de Punho de Ferro, as lutas eram do nível de Arrow, algo que saltava ainda mais aos olhos depois de ver Demolidor. Como um dos destaques das tramas de Danny Rand é justamente as lutas plásticas, isso era pra lá de decepcionante. Esse defeito foi corrigido e as brigas são mais empolgantes de acompanhar, com um quê de capoeira no negócio. Outro elemento que foi melhorado aqui é a personalidade do protagonista, um personagem meio chatinho e com uma atuação bem forçada de Finn Jones, muito por causa do roteiro fraco. Bom, continua não sendo o melhor de todos, mas nos faz simpatizar mais com seus dramas. A impressão que fica, contudo, é que ele deixa de ser o centro das atenções em sua própria produção, pois é Colleen quem rouba a cena na maioria das vezes. Sem ela, a série seria consideravelmente mais sem graça de assistir.
E por falar em evolução de personagens, é preciso ressaltar a presença de Ward. Na primeira temporada, eu achava o ator beeem fraquinho, mas na segunda sua interpretação pareceu mais orgânica. Quanto à sua irmã, Joy, o efeito é quase o contrário. Anteriormente, eu a considerava só uma personagem sem sal, agora passou a me incomodar um pouco. O vilão, Davos, também é descartável, com uma motivação das chatas e carisma no vermelho. Considerando que abaixou o nível da temporada, então ele foi um ótimo vilão
Entre as surpresas, Mary Walker (Alice Eve) é a escolhida. Dona de uma personalidade hm, digamos, instável, sendo que ela tem duas pessoas diferentes vivendo dentro de uma só, ela adiciona um tom de mistério e expectativa ao enredo. A trama principal, envolvendo as máfias de Chinatown, com BB (Giullian Yao Gioiello) fazendo uma tabela boa com Colleen, é interessante o suficiente pra carregar alguns episódios, mas funciona melhor como arco secundário. Por fim, as participações recorrentes de Misty Knight (Simone Missick) são positivas.

Justin BB

Veredito

Punho de Ferro consegue corrigir vários erros cometidos na sua temporada de estreia, mas comete outros na mesma medida. No resultado final, a primeira é um pouquinho melhor porque tem mais alma. Se a produção não tivesse sido cancelada, os roteiristas poderiam ter pegado o que deu certo na primeira e na segunda e mesclar. Uma pena que isso não vai ser possível, a não ser que a Disney resolva resgatar a obra. Entretanto, isso soa complicado.

Claire repaginada

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

{Nota nº 3: bateu aquela curiosidade de saber qual exatamente é a nota desta temporada, sem arredondamentos? Se sim, dá uma olhada aqui nesse link. Se não, pode dar uma olhada também: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/gabarito-do-leleco/}

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • A Marvel/Netflix adora cenas de luta na cozinha, né. Toda vez tem um embate envolvendo frigideiras, panelas e afins.
  • Na opinião de vocês, a vitória do Danny contra o Davos foi realmente injusta? A parte da luz do sol nos olhos do segundo foi pura estratégia, e não roubo. Agora, se o próprio pai do Davos fez com que a luta acabasse porque sabia que iria dar merda se ele ganhasse, não dá pra considerar que foi uma injustiça, mas sim um serviço público.
  • Era óbvio que o BB iria morrer em algum ponto da temporada. Foi legal ver a interação meio sobrinho e tia dele com a Colleen, enquanto ela durou.
  • Como diabos a Joy não morreu quando caiu daquela altura lá no galpão abandonado? Ah é, ela tem passe livre de personagem principal.
  • Naquela cena em que o Ward é confrontado por sua madrinha dos Narcóticos Anônimos, por acaso ele tava no mesmo bar que a Jessica Jones naquele flashback trágico da segunda temporada? Ou eu tô doido?
  • E por falar em Ward e sua madrinha, que tenso ela ter engravidado e falado “sem tempo, irmão” pro desejo dele de estar presente como pai. Mas acredito que ela fez a escolha certa, o cara tava uma bagunça emocional.
  • Ou, aquele carinha do tapa-olho é mó daora, vei. Foi uma boa adição à história. E sim, tô com preguiça de procurar o nome dele, nem fiz questão a decorar.
  • Misty e Ward como casal, seria meu sonho?
  • Pô, é realmente uma pena que a terceira personalidade da Mary nunca vai ser explorada por causa do cancelamento da série. Daria um puta arco massa pro futuro.
  • Ok, eu não sei se a Colleen funcionaria como Punho de Ferro, porque o mais legal dela é que a mina é foda sem ter nenhuma habilidade especial. Colocar um Punho Branco Brilhante do Destino™ e uma Katana Poderosa da Danação™ nela poderia estragar a essência da personagem. Infelizmente, nós nunca saberemos  PORQUE A SÉRIE FOI CANCELADA. Humpf.
  • Danny com Punho, Davos com Punho, Colleen com Punho, agorinha o Stan Lee aparece com todos os membros de Ferro. E que porra é aquela do Danny com Pistolas Douradas da Fortuna™? Eu sei que tem nos quadrinhos, mas tem coisas que não funcionam na televisão. Essa foi claramente uma delas kk

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Colleen Wing
É a única que se mantém bem construída do começo ao fim. Carrega a série nas costas.

O sorriso estampado no rosto de quem sabe que reina

+ Melhor episódio: S02E09 (“War Without End”)
Uma decisão que eu não esperava que fosse ser tomada marca o capítulo. Difícil saber se viria a ser um acerto ou um erro, devido ao cancelamento, mas definitivamente foi marcante.

Esta é de quantos centavos?

+ Maior evolução: Ward Meachum
Inverteu os papeis com sua irmã e participou de arcos bons no decorrer dos episódios.

Só achei foto dele com outras pessoas, mas pois é

+ Maior surpresa: Mary Walker
Assim como Benjamin Poindexter em Demolidor, ela foi uma boa adição ao universo de Punho de Ferro.

Essa é Mary vai com as outras

+ Maior decepção: Joy Meachum
Ela era sem gracinha, mas se tornou chata e com justificativas não tão boas assim. É isso.

Oi, como vai, tudo Joya?

+ Pior personagem: Davos
O vilão mais fraquinho de toda a existência da parceria Marvel/Netflix. Sem carisma, com pouca identidade e uma motivação fraca.

Não lembro desta cena na série não, mas ok

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?