Séries

Demolidor: 1ª Temporada (2015)

• A justiça é cega

Título clichê, eu sei.
Como muitos já sabem, a moda do momento no universo do cinema são os filmes de super-heróis. Com o grande sucesso do Universo Cinematográfico da Marvel™ e o começo promissor do Universo da DC, as respectivas empresas decidiram se expandir para o mundo das séries. A DC já havia feito isto com Arrow e Flash, e por isso a Marvel decidiu fazer uma parceria com a Netflix (mozão <3) e arriscar uma série do Demolidor.
Logo de cara, a série conquistou todo mundo. Até mesmo quem não curte muito super-heróis com certeza ficou interessado na história, que é fodástica. Com uma pegada mais séria, Demolidor nos apresenta Matt Murdock, um advogado cego que abre uma empresa de advocacia com seu amigo Foggy Nelson, batizando-a de “Nelson & Murdock”. Porém, enquanto de dia Murdock combate o crime nos tribunais, à noite ele veste uma máscara caralhuda e sai batendo nos bandidos por aí.
Se você não conhece o Demolidor, provavelmente está se perguntando: “como que um cara cego sai batendo nos bandidos?”. Aí é que tá, meu amigo. Quando criança, Murdock sofreu um acidente radioativo (sempre nas hqs os poderes são causados pela radioatividade, tô quase indo pra Chernobyl) que o deixou cego; por outro lado, seus outros sentidos ficaram muito mais aguçados, dando a ele reflexos melhores do que os de qualquer um que consegue enxergar. Ainda assim, Murdock teve que ser treinado por uma outra pessoa, que a gente descobre a identidade ao longo da temporada.
plot da primeira temporada envolve o chefão (ou seria rei?) do crime Wilson Fisk, um careca bolado que domina uma parte de Nova York. Suas parcerias incluem as máfias russa e chinesa e a Yakusa – sabe, pessoas bem tranquilas e bondosas. Enquanto o Murdock mascarado tenta impedir o crescimento da criminalidade nas ruas, o Murdock advogado, juntamente com Foggy e Karen Page (uma jovem falsamente acusada de homicídio, que inicialmente vira cliente de Nelson & Murdock mas que depois passa a trabalhar com eles) tenta expor a companhia Union Allied, uma empresa de construção extremamente corrupta.
Os personagens são muito bem construídos, sobretudo o protagonista, que tem toda sua origem trabalhada na medida certa e suas motivações ficam bem claras desde o começo. Foggy Nelson também se destaca, como o carismático parceiro de Murdock, e Wilson Fisk brilha como o vilão impiedoso da temporada. Outros também merecem nota, como o fdp James Wesley, Ben Urich, Claire Temple e Stick, isso falando somente dos principais.
Uma coisa que eu não poderia deixar de mencionar é “a cena do corredor”. De acordo com o coordenador de dublês da série, a cena de pancadaria do segundo episódio foi feita em uma única tomada. Além disso, a cena por si só já é foda: mais de dois minutos do Murdock batendo em geral e nocauteando todo mundo. Mas o melhor é que na luta o herói fica cansado e tem dificuldade para bater nos oponentes, um diferencial em relação à outros filmes e séries de super-heróis, aonde o cara sempre sai ileso e descansado.
O arco da temporada é bem feito e concluído de maneira excelente, nos proporcionando uma brilhante série que todos deveriam dar uma chance. Realmente o único defeito é a exagerada densidade do enredo em alguns momentos, e isso acaba comprometendo um pouco. Porém, obrigado novamente Netflix, sua linda, e continue fazendo o que você sabe fazer de melhor. 

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Entrei em êxtase quando a Karen alvejou o Wesley lá. Tive mais raiva dele do que do próprio Fisk.
  • Que cena moralizadora aquela que o Fisk arranca a cabeça do cara com a porta do carro.
  • Não sou de “shippar” casais, mas o Murdock e a Claire claramente deveriam ficar juntos.
  • Muito legal o Nobu fazendo cosplay de Tocha Humana.
  • Pô, não precisava ter matado o Ben, Fisk vacilão.
  • Cara, eu gostei do traje do Demolidor, mesmo tendo visto tanta gente criticar.
  • O bom aluno sempre supera o mestre, né Stick?
  • Pintou um clima no último episódio, hein.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Matt Murdock
Um símbolo de heroísmo e integridade, o abacate da lei Murdock encanta justamente por suas motivações e escolhas, sem falar que é muito bem interpretado por Charlie Cox, o qual realmente tem uma atuação impressionante.

Um colírio para os olhos
Um colírio para os olhos

+ Melhor episódio: S01E09 (“Speak of the Devil”)
Apesar do último episódio também ter sido foda, gostei muito deste em especial. O penúltimo foi outro muito bom, especialmente por causa de um acontecimento marcante.

Assassin's Creed: Daredevil
Assassin’s Creed: Daredevil

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?