Séries

The 100: 1ª Temporada (2014)

• Um apocalipse adolescente

The 100 conta uma história fictícia pós-apocalíptica onde a Terra ficou inabitável por motivos de radiação e os únicos sobreviventes residem numa estação espacial chamada Arca, que reúne representantes de alguns países (inclusive o Brasil, hue). O enredo se passa quase 100 anos depois do extermínio da maioria dos terráqueos, e é centrado em Clarke, uma jovem garota que tem as características de uma líder nata.
Após o pai de Clarke – um engenheiro – descobrir que os recursos da Arca não durariam por muito tempo, a mãe de Clarke, Abby – uma médica – se vê obrigada a quebrar um pouco as regras unindo o útil ao agradável: ela envia 100 jovens presidiários (incluindo Clarke) numa cápsula para a Terra checar se ela já está habitável, ganhando tempo e recursos para uma maior sobrevivência da raça humana. E é assim que as coisas começam.
Ao chegar na Terra, os 100 percebem que ela já é habitável apesar da radiação, mas que o planeta adquiriu algumas peculiaridades em relação à fauna e à flora. Além disso, eles descobrem que não estão tão sozinhos quanto imaginavam e têm que lidar com os conflitos internos e externos que vão surgindo ao longo da história.
Apesar da premissa interessante, a série é muito adolescenteNão que eu seja super maduro e prefira ler os livros do Stephen Hawking no meu tempo livre, porém alguns acontecimentos são um pouquinho ‘vergonha alheia’, começando pelo fato de que a primeira frase que Octavia, uma das 100, diz quando pisa em terra firme é “we’re back, bitches!”, algo como “estamos de volta, vadias!“. Pela gravidade e importância da situação, eu esperava algo mais sério, sei lá.
Outro ponto que é meio clichê é a personalidade dos personagens. Bellamy é o rebelde gostosão que quer se revoltar contra tudo e contra todos; Octavia é a garota que com certeza seria uma daquelas cheerleaders de filme americano; Jasper é o nerdão sem jeito com as meninas; Monty é o asiático mestre da tecnologia; Murphy é o mal-caráter cruel; Finn é o galante conquistador; e Clarke acaba sendo uma das únicas que fogem um pouco do padrão, e por isto é a mais interessante.
Em alguns momentos The 100 inova e tenta mostrar algo diferente, como nas cenas com Lincoln, mas ainda assim, continua sendo um pouco previsível. Contudo, mesmo com tantos pontos negativos, acabei me divertindo com a série quando parei de tentar levá-la tão a sério.
O núcleo da Arca é interessante, liderado por Abby, Jaha (o chanceler) e Kane (o vice invejoso). O enredo vai sendo preenchido por meio dos flashbacks, o que funciona bem na proposta da série. Alguns absurdos tendem a acontecer, tanto na Arca quanto na Terra, mas como eu disse, o segredo é tentar não levar tudo muito a sério.
Outros personagens também chamam atenção, com menção honrosa à Raven, uma mecânica que tem um profundo envolvimento na vida de Finn, que por sua vez se apaixona por Clarke ao chegar na Terra. O núcleo dos “grounders” tambem é legal e movimenta bastante a história.
Minha dica é: veja despretensiosamente esta primeira temporada. A partir da segunda, The 100 ganha uma maturidade impressionante e as coisas mudam totalmente o rumo, o que me surpreendeu muito positivamente. Mas já aviso agora: tenha cuidado com os shipps.


~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Garota suicida 1×0 Wells. Desculpa, cedo demais, né?
  • Se o Murphy tivesse morrido enforcado naquela hora eu não teria reclamado de nada.
  • Como tem gente que gosta do Bellamy nesta temporada? Mó cuzão.
  • Finn vacilão, traiu a namorada na cara dura.
  • COMO É POSSÍVEL O JASPER TER SOBREVIVIDO ÀQUILO? FORÇOU DEMAIS, NÉ.
  • Finn é mole pra caramba, mano.
  • Tadinha da Raven.
  • Muito triste aqueles caras da Arca terem se sacrificado por nada :/
  • Jaha rei.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Clarke Griffin
Uma das únicas pessoas lúcidas na Terra, Clarke impõe sua personalidade desde o começo.

Clarke Kent
Clarke Kent

+ Melhor episódio: S01E13 (“We Are Grounders – Part 2”)
Cheio de reviravoltas, esta season finale empolga e o Chanceler Jaha brilha.

O Rei da Season Finale
O Rei da Season Finale

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?