Séries

Sons of Anarchy: 1ª Temporada (2008)

• Os filhos da anarquia

Sons of Anarchy é uma série americana sobre uma gangue de motoqueiros da cidade fictícia de Charming. Liderada por Clay Morrow, SAMCRO (Sons of Anarchy Motorcycle Club, Redwood Original) basicamente controla a cidade, lidando principalmente com armas e negociando-as com seus parceiros de trabalho.
A primeira temporada foca muito na introdução dos personagens e na apresentação dos negócios do grupo. O líder, Hellboy Clay, é um homem duro, que mudou bastante com o tempo devido às circunstâncias de sua vida; O protagonista e “vice-presidente” do clube Jax Teller é um jovem enérgico e naturalmente fodão, filho de um dos fundadores do grupo, John Teller, que morrera em um acidente anos atrás; e por fim, Gemma Teller Morrow é a mãe de Jax e atual esposa de Clay, que se juntou a ela após a morte de John.
Esses três personagens lideram a série, mas desde o começo Sons of Anarchy apresenta diversos personagens interessantes e/ou carismáticos, como Opie, Tig, Half-Sack, Piney, Unser, Tara, Chibs, Bobby e váááários outros. Aliás, a construção de cada um é o maior trunfo da série, que tem o poder de nos fazer amar e odiar (né, Stahl?!) os personagens muito rapidamente. Outro trunfo gigantesco de Sons of Anarchy é sua trilha sonora, que eu digo com propriedade: é de longe a melhor dentre todas as séries.
O ponto central do começo da temporada é a descoberta do diário de John Teller por seu filho, Jax. Ao ler as palavras escritas por seu pai, ele começa a perceber que a administração de Clay se afastou bastante dos ideais iniciais pelos quais o grupo foi formado. Com isso, ele vai mudando seu pensamento, ainda mais quando seu filho nasce em condições difíceis. Porém, a temporada não foca somente nisto, mostrando também o seguimento dos negócios do clube e os problemas que eles vão enfrentando pelo caminho, além das eventuais traições e tragédias.
Antes de começar a assistir, já tinha ouvido muitas críticas extremamente positivas, mas assumo que ao terminar a primeira temporada, não fiquei tão fisgado quanto eu imaginava que ficaria. Não que eu tenha achado ela ruim – é cheia de acontecimentos marcantes – mas esperava um pouco mais do conjunto.
Os destaques da temporada são sem dúvidas Jax e Opie. Jax, por ser o loiro-gostosão-carismático-fodástico-sonhador, e Opie por ser um exemplo de lealdade ao grupo. E aliás, este é um dos temas mais abordados ao longo da temporada e da série como um todo: a lealdade dos motoqueiros ao SAMCRO. Tudo gira em torno desta devoção ou da falta dela, sendo que consideram o clube quase como uma religião.
Outro tema bastante colocado em pauta é a família. Gemma, por exemplo, é capaz de fazer qualquer coisa pela sua, e quando eu digo qualquer coisa, é qualquer coisa mesmo (sim, ela é até meio doida às vezes). Além dela, muitos outros também são bastante dedicados a seus familiares, como o próprio Jax, e todos eles acabam considerando SAMCRO como uma outra família.
Apesar de eu não ter curtido tanto a primeira temporada quanto eu esperava, a partir da segunda ela evolui de maneira espetacular, o que me fez chegar à conclusão de que o ritmo mais lento mostrado aqui era necessário para que lá na frente as coisas ficassem realmente boas. Se tem uma série que eu recomendaria para qualquer um é Sons of Anarchy, que tem lugar cativo no meu ranking de séries favoritas.

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Bem que eu não fui com a cara do Clay desde o começo: cara fdp do carai.
  • E você também não fica muito atrás, Tig, mesmo tendo somente seguido ordens.
  • Quem nunca matou o ex-namorado de uma garota e logo depois foi pra cama com ela? Super comum.
  • Vsf, Stahl.
  • O Opie não merecia aquilo, cara.
  • Gemma batendo na Cherry, hahaha, que mulher!
  • Clay e Gemma estão escondendo alguma coisa importante, hein.
  • Kohn conseguiu ser mais chato que a Stahl, pqp.
  • Que vida boa a da Wendy.
  • Comemorei muito quando o Otto agrediu a Agente Stahl, que cara massa.
  • Aquele funeral ao som de John, The Revelator foi uma puta cena foda.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Opie Winston
Fiquei muito em dúvida entre ele e o Jax, mas me identifiquei mais com o Opie e por isto escolhi ele.

Jax e Opie, os reis da temporada
Jax e Opie, os reis da temporada

+ Melhor episódio: S01E12 (“The Sleep of Babies”)
Estou em choque até hoje por causa deste episódio.

Eu sou o Hellboy, cara. Lide com isso.

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?