Séries

Doctor Who: 6ª Temporada (2011)

• Tique-taque

Tá cada vez mais difícil escrever um pitaco.
Veja bem, o momento do dia em que eu gosto mais de pitacar é durante as tardes, sempre foi assim. Normalmente, eu prefiro escrever na madrugada, inclusive estou fazendo isto agora, mas quando o assunto é Pitacos do Leleco o panorama muda. Não sei bem porquê, mas tem alguma coisa na atmosfera vespertina que me faz sentir inspirado, e ultimamente eu meio que me afastei disso, porque entrei para o proletariado brasileiro e, embora minha carga horária não seja grande, o emprego tirou minha oportunidade de dar pitaco durante a tarde – não que eu esteja reclamando, afinal de contas, eu tô ganhando dinheiro. Porém, como isto aqui é um site de críticas e não o meu diário pessoal, mesmo que às vezes pareça, vamos focar no que realmente interessa.
Sexta temporada de Doctor Who. Se você ler os meus outros pitacos desta série vai saber que quem me indicou o universo gigante desta linda ficção científica foi minha namorada, que na época era só uma amiga. Pode até parecer uma informação meio desconexa, mas aqui vai o motivo de eu estar mencionando isso uma vez mais: como meu tempo para a arte da escrita tá mais curto, nas últimas semanas tomei a decisão de pedir ajuda pras pessoas. Não ajuda do tipo “ou, fala aí o que você achou pra eu não ter o trabalho de produzir algo“, até porque a Pitacos do Leleco Enterprises é uma empresa de respeito e credibilidade. A ajuda que eu tô falando é tipo falar com algum amigo que já assistiu à série e perguntar o que ele lembra da temporada que estou prestes a escrever, pra eu não perder horas vendo vídeos e lendo resumos na internet. Sim, eu costumo fazer isso.
Em alguns pitacos, eu já pedi a ajuda de meu amigo Daniel, como os de Sons of Anarchy American Horror Story. Contudo, eu só perguntava o que ele lembrava, o personagem que mais gostou, melhor episódio, coisas pequenas. Neste pitaco de DW, pedi a ajuda da minha namorada pra ela fazer um verdadeiro resumo da temporada, episódio por episódio. Por isso, este pitaco é dedicado a ela.
Depois de mais de vinte linhas te enrolando, leitor, vamos à temporada. É muito difícil escrever sobre algo que a gente assistiu faz muito tempo, mesmo lendo resumos. O ideal seria que eu reassistisse tudo, mas se eu for começar a fazer isso sempre, nunca vou me atualizar nas séries. De qualquer maneira, o plot da sexta temporada de Doctor Who começa com o Doctor convocando Amy e Rory pra um lugar mó diferentão. Só que, chegando lá, o nosso querido alienígena, antes de conseguir regenerar, é morto por uma pessoa não identificada usando uma veste de astronauta (típico de DW). O pontapé inicial do enredo começa aí, mas é claro que a temporada vai evoluindo e nos apresenta diversos arcos e histórias paralelas, sem contar o desenvolvimento da trama principal.
Uma coisa que minha consultora oficial de Doctor Who pediu para eu mencionar foi o fato de que a sexta temporada é repleta de episódios duplos: 1&2, 5&6 e 7&8, sem contar a trama contínua entre alguns episódios. A exemplo da quinta temporada, a sexta continuou com o lance de contar pequenas histórias dentro de um grande enredo principal, uma mudança que me agradou bastante em relação às outras temporadas e que me fez ver a série com outros olhos.
Ainda que eu prefire a anterior, a sexta temporada de DW é sensacional. A química entre o Doctor e a River, entre o Doctor e a Amy, entre a Amy e o Rory, entre o Doctor e o Rory, cada relação com suas próprias peculiaridades, é algo gostoso de se ver. Além disso, as intrigas da temporada são muito interessantes, sobretudo as figuras do Silêncio, que pra mim são, ao lado dos Weeping Angels, de longe os “monstros” mais legais da série. Acho que talvez eu tenha achado a metade da temporada um pouco abaixo justamente por ter gostado tanto da ideia do Silêncio, vilões que aparecem somente nos dois primeiros episódios.
O início da temporada é espetacular, me deixou aturdido, a sequência é legal, e a série só volta a ficar realmente foda mais pro fim. No resumo da ópera, a sexta temporada manteve minha opinião de que, após a quarta e principalmente com a chegada da quinta, Doctor Who deu uma guinada de qualidade que eu nunca esperava que ela fosse ter, não de maneira tão súbita. O sexto ano da série não foi tão emblemático quanto o quinto, apesar de contar com inúmeros plot twists, um deles tão massa que faz a gente ficar “aaaaaaa”. O saldo final é extremamente positivo, então vá assistir sem medo do que virá pela frente.

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

{Nota nº 3: bateu aquela curiosidade de saber qual exatamente é a nota desta temporada, sem arredondamentos? Se sim, dá uma olhada aqui nesse link. Se não, pode dar uma olhada também: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/gabarito-do-leleco/}

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • MEU DEUS DO CÉU A RIVER É A MELODY POND QUE É A FILHA DA AMY E DO RORY QUE NA VERDADE ERA A MELS AMIGA DA AMY ANTES DE AI MEU DEUS É MUITA COISA PRA MINHA CABEÇA PROCESSAR
  • Cara, aqueles primeiros episódios com o Silêncio foram sensacionaaaaais. Sério, que ideia maravilhosa a daqueles alienígenas. Fica aquele questionamento né, e se um “””Anjo Lamentador””” olhar para uma criatura do Silêncio, o que acontece? Ela vai se esquecer ou vai absorver a energia temporal do mesmo?
  • Presidente Nixon, Neil Armstrong, Adolf Hitler… é muito bom quando a série utiliza personagens reais.
  • Vou falar um negócio polêmico aqui, mas não curti muito o episódio em que a TARDIS vira uma mulher. Minha namorada provavelmente vai me matar quando ler isso, mas teve alguma coisa no capítulo que não me cativou. Pode ser que eu assista novamente e mude de ideia, mas a minha primeira opinião foi a de que parecia um episódio comum que teria na terceira temporada, sei lá.
  • O tique-taque do relógio é a melodia desta temporada, não acham?
  • Mano, a história de amor de Doctor e River é triste d+++
  • Se você encontrasse uma versão futura da pessoa que você ama, juntamente com a versão do presente da mesma, você abandonaria a primeira para viver com a segunda?
  • Tick tock goes the clock till River kills the Doctor. Tique-taque faz o relógio até que a River mate o Doutor.
  • Eu queria poder usar um tapa-olho sem ser julgado pela sociedade, igual a galera dessa série. Um dia ainda faço um cosplay disso.
  • AWWWW QUE FOFOS DOCTOR E RIVER CASANDO EU APOIO SOU TEAM DOCTIVER
  • O episódio 3, dos piratas, é aquele típico capítulo que a gente esquece completamente depois de um tempo, né.
  • Não me lembro tão bem dos episódios 5 e 6, mas me recordo de que são bem legais. No dia em que eu rever essa temporada eu volto aqui e falo melhor sobre eles, prometo.
  • Seguindo o enredo do episódio 9, imagina se uma Annabelle, um Chuckie ou uma Peppa Pig ficassem gigantes??
  • Queria tanto que fizessem mais episódios com o Craig (James Corden). Ele e o Doctor fazem uma dupla tão daora.
  • O próprio Doutor também teve sua fase-cabelo-grande, então ninguém precisa se sentir envergonhado por isso.
  • MDS EU AMO ESSE EP DE NATAAAAAL SERIO TEM O DUMBLEDORE TEM UMA HISTORIA BONITA É TOCANTE É TUDO EU ADOREI REAL

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Doctor/Doutor (menção honrosa a River Song)
Uau, que surpresa. De qualquer maneira, eu já avisei aqui que provavelmente toda temporada teria ele como melhor personagem, e nessa não é diferente. Ah, quase coloquei a River como “maior surpresa”, mas acredito que não se encaixaria muito na categoria.

Quando você quer espirrar, mas o espirro não vem

+ Melhor episódio: S06SP (“A Christmas Carol”)
Essa foi difícil de decidir. Eu simplesmente amo os dois primeiros episódios, os do Silêncio. Minha namorada ama o episódio 10, “The Girl Who Waited”. Entretanto, optei pelo especial de Natal porque até hoje ele é o melhor que eu já vi em Doctor Who. Na temporada em si, achei o arco do Silêncio mais interessante e original, mas como episódio isolado, acho que “A Christmas Carol” merece esse prêmio.

Este senhor afirma que o Doutor tem pelo menos doze horcruxes. Estaria ele certo?

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?