Séries

Shadowhunters: 2ª Temporada (2017)

• Um remake superior

Eu tava com uma puta preguiça de assistir à segunda temporada de Shadowhunters. Acho que não tem por que mentir aqui. Sabe quando você tem várias coisas na lista, mas sempre vai deixando certos títulos cada vez mais no fundo do baú? É isso que vinha acontecendo comigo. Porém, desde que eu zerei meus pitacos pendentes, venho concentrado na minha tarefa de assistir tudo que eu já comecei antes de iniciar alguma série nova. Dito isso, me deparei com SupernaturalAmerican Horror Story 3%. A primeira eu não tenho planos de retomar agora, quero esperar ser finalizada de vez. A segunda eu não tô nem um pouco animado, ainda mais depois do lixo que foi Freak Show. A brasileira não me gera muito empolgação. Então, percebi que tava desatualizado na produção sobre os Caçadores de Sombras. Poucos dias antes, tinha descoberto que a obra fora cancelada e encerrada em seu terceiro ano. Isso serviu de motivação para revisitá-la depois de quase três primaveras.

 

Sinopse

Dando uma recapitulada bem das vagabundas, Clary Fray é uma garota que descobriu ser uma Caçadora de Sombras após o desaparecimento de sua mãe, Jocelyn. Aos poucos, ela ficou sabendo que o amigo da família, Luke, era um lobisomem, e que o mundo era lotado de seres fantásticos. Simon, seu BFF, virou vampiro. Ela se apaixonou por Jace, um Shadowhunter, mas descobriu que o cara era seu irmão. Climão, né. Pois então, ainda temos as figuras de Isabelle, Alec, Magnus e o grande vilão incompetente, Valentine Morgenstern.
Na primeira temporada, Jace concordou em se juntar ao antagonista na sua saga de purificação supremacista, para salvar a pele de seus amigos. Sim, ele é honrado. Pois então, a história é continuada a partir deste ponto. O herói está forçadamente junto a Valentine. O Instituto agora é governado por Aldertree, um homem sedento por ser um grande cuzão. Jocelyn tá acordada do seu sono profundo e tenta se ajustar à nova vida. O mais importante, no entanto, é que Morgenstern tá reunindo uma galera sinistra pra alcançar os seus objetivos do mal.

É aqui que vai rolar o campeonato de judô??

Crítica

A escolha do elenco da série, em comparação com o filme, foi muito mais acertada, com exceção dos dois personagens principais. A atriz que faz a Clary, Katherine McNamara, era simplesmente terrível. Contudo, por incrível que pareça, ela melhorou muito seu nível de interpretação, então é o primeiro ponto positivo que devo destacar. O ator do Jace, Dominic Sherwood, permanece meio fraquinho, mas muito por culpa do roteiro. Nos raros momentos em que deixaram ele ser quem realmente é nos livros, o cara agradou. Porém, na maior parte do tempo, sua função é só posar de cristal da santidade e agir pelo bem do universo do jeito mais tedioso possível.
Com os outros personagens, ressalto que Alec continua sólido, Magnus ganha algumas camadas, mas Izzy cai um pouco de produção. Seu núcleo na primeira metade da temporada não me agradou muito. As novas caras dão um charme à temporada, como Maia, Sebastian e a Rainha Seelie. Sério, os três foram sensacionais. Quanto ao Valentine, não tem como ser um bom vilão pois foi mal escrito desde o começo, e não melhora aqui. Ponto negativo.
A segunda temporada de Shadowhunters não possui tantos momentos vergonha-alheia igual sua antecessora, embora conte com algumas cenas bem adolescentes. Ela é divertida e leve, até me fez ignorar algumas incongruências do enredo. Definitivamente uma evolução da série, corrigindo os principais erros cometidos na estreia.

Peço a gentileza. Se você não apoia esta rainha, solicito que me exclua do seu círculo de amigos. Sem ressentimentos, sem mágoas. Não apoiá-la para mim é desvio de caráter, falta de personalidade e fraqueza de espírito.

Veredito

A pegada de Shadowhunters é adolescente e sempre será. Isso não é um problema, desde que a história seja cativante. Neste aspecto, a segunda temporada cumpre muito bem o seu papel, e ainda consegue entregar personagens com traços de complexidade, o que me surpreendeu genuinamente. Ela é muito guilty pleasure, e como toda coisa do gênero, eu tinha plena consciência de algumas de suas fraquezas. A questão é que elas não incomodam na experiência final. Poderia ter tido menos episódios, é verdade, mas estaria me enganando se não dissesse que me diverti bastante no processo. Nota final: 3,0/5.

Tião Caçador das Sombra

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

{Nota nº 3: bateu aquela curiosidade de saber qual exatamente é a nota das temporadas, sem arredondamentos? Se sim, dá uma olhada aqui nesse link. Se não, pode dar uma olhada também: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/gabarito-do-leleco/}

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • No primeiro tópico, vamos falar sobre os casais. Bom, acho que ninguém em sã consciência é contra Malec, embora eu gostaria que eles se estabilizassem um pouco no relacionamento e passassem um tempo preocupados somente em trabalhar juntos, em vez de ficar discutindo toda hora. Sobre a união entre Simon e Clary, todos sabemos que aquilo era necessário para o amadurecimento de ambos, mas ainda bem que acabou. O rápido caso entre Maia e Jace não foi tão abominável, achei legal. Mas todo mundo sabe que a Clary precisa ficar com o Jace, eles se merecem. Não são irmãos mesmo. E, atualmente, eu prefiro a Maia com o Simon, mas a Izzy tá ali só esperando pra dar o bote. Aliás, a aproximação dela com o Raphael foi uma agradável surpresa.
  • Mano, que personagem sensacional a Rainha Seelie, sério. Paguei pau. É verdade que ela perdeu um pouco da graça depois que “ficou mais velha”, preferia a fodacidade dela enquanto criança. Por favor, que não seja desperdiçada e/ou estragada no futuro.
  • Eu não consigo gostar de arcos que abordam vícios em algum tipo de droga, acho enjoativo, repetitivo e raramente traz algo de novo. Por isso, fiquei com um pouco de preguiça do núcleo da Izzy na primeira parte da temporada. O ponto positivo foi a química dela com o Raphael, mas eu não via a hora de presenciar novamente a Isabelle Lightwood que tanto gostamos.
  • Jocelyn morreu, wtf? Por um bom tempo, eu achava que fosse alguma jogada da série, porque tinha sido tudo tão abrupto e fora do cronograma. A atriz devia ter um problema bem grande com os produtores, né kk
  • Impressionante como o Valentine é um vilão acessível. Pra um cara que é uma ameaça no mundo inteiro e caçado por geral, ele não vê problemas em fazer aparições públicas. Se eu fosse um Caçador de Sombras, eu pegava logo era uma sniper e metia bala na testa do careca, pra resolver logo os problemas. Duvido que estaria esperando. E mano, toda hora ele era derrubado por alguém, por que não finalizavam o serviço logo? Todo mundo saía matando geral dos capangas, por que não fazer o mesmo com o chefão? Vai entender.
  • Cleophas, o que rolou. A irmã do Luke escafedeu-se, vai aparecer de novo no futuro? Outra personagem que sumiu do nada.
  • E por falar em sumiços, coitada da Lydia. Quebrou o braço no começo e pediu licença médica da vida. E a Dot, morreu ou nem? Tantas perguntas sem resposta, aaaaa. Se bem que tô pouco me fodendo pra ela, mais inútil não existe.
  • Tudo na série parece tão pequeno com uma ameaça tão grande. Os Caçadores de Sombras não param de dizer que o destino de tudo tá em jogo, mas o “exército” do Valentine parece tão enxuto. Manda um caminhão atropelar todo mundo e pronto, cabou.
  • E que espadinha mixuruca aquela, hein? Os anjos forjam aquele bagulho pra funcionar só em um raio de metros? Mais fácil criar um vírus e espalhar pelas cidades.
  • Não consigo entender como a galera confiou tão rápido no Sebastian. O maluco vem lá das Europa sem conhecer ninguém e logo vira um general com acesso a tudo. Aí não, né, Instituto.
  • Simon andando no sol agora, show, não pode perder o bronzeado. Ops.
  • Hodge morreu e zero pessoas ficaram impactadas. Jace salvou o Aldertree e bilhões de pessoas ficaram putaças.
  • Por que raios todo demônio da televisão precisa ser um homem branco elegante e alto? O Azazel soou como mais do mesmo. Falta criatividade, sei lá.
  • Mamãe do Sebastian tá chegando. Agora a porra vai ficar séria.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Raphael Santiago
Nesta categoria eu tive que ponderar muita coisa. Simon é muito legal, o Alec precisa sempre ser aplaudido… Mas pra mim, Raphael foi o que mais apresentou algo de diferente. Mesmo com menos tempo de tela, ele brilhou. Não do jeito que o Edward de Crepúsculo tá acostumado. Ah, vocês entenderam.

Queria ter o senso de estilo deste maldito vampiro

+ Melhor episódio: S02E08 (“Love is a Devil”)
Pra falar a verdade, nenhum episódio realmente me fez pensar “putz, este foi bem superior aos outros”. Ainda assim, o oitavo foi um dos que mais me marcaram, e tomei minha decisão por puro apego pessoal.

A razão pela qual 90% das pessoas assistem à série

+ Maior evolução: Clary Fray
Este prêmio vai mais pela melhora na interpretação da atriz do que na evolução da personagem em si. Não consegue ser espetacular, mas tá longe de ser aquela chatice de outrora.

Dois pilares na temporada nunca pensei que diria isso

+ Maior surpresa: Maia Roberts (menção honrosa a Sebastian e à Rainha Seelie)
Esta foi a mais difícil. Os três personagens listados acima acrescentaram MUITO na trama. Escolhi a Maia porque foi a com mais relevância no contexto geral, levando em conta a temporada completa. Mas volto a dizer: os outros dois foram incríveis, cada um à sua maneira; Sebastian com seus modos gentis e polidos e a Rainha Seelie com seu escárnio.

Pra ela, o mundo acabou em 2012

+ Maior decepção: Valentine Morgenstern
Se fosse alguém secundário, ainda dava pra perdoar. Como vilão principal e ameaça global no universo proposto, não se encaixa e fica muito abaixo do esperado. Pensei que fosse melhorar em relação à temporada passada, mas não rolou.

Descrição do livro: extremista de cabelos brancos. Representação da série:

+ Pior personagem: Luke Garroway
Não dá. Eu tento gostar dele, mas não dá. O ator não coloca carisma nenhum no personagem, e o lobisomem parece mais um cachorrinho dos Caçadores de Sombras. Não dá.

Juro procê que peguei um peixão desse tamanho aqui, ó

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?