Séries

Luke Cage: 1ª Temporada (2016)

• O poder das ruas

Depois do sucesso de Demolidor Jessica Jones, a nova produção da Netflix + Marvel é Luke Cage, a série de um personagem que já foi introduzido na série de Jessica e que quem assistiu já está um pouco familiarizado. Agora, vemos mais a fundo sua personalidade, seu heroísmo e seus poderes.
A série toca em um ponto muito pertinente no cenário atual e que muitas vezes é tratado com pouco caso: a falta de super-heróis negros na televisão. Eu era um daqueles que falava que isto era besteira, que o povo exagera, mas quando parei pra pensar realmente percebi que isto era uma realidade, ainda mais considerando que a maioria dos heróis foram criados em uma época de repressão contra os negros.
Por isso, Luke Cage já chega inovando por abordar este tema. Durante toda a temporada este assunto é trabalhado, mostrando o poder que um vigilante negro pode provocar na cidade, sobretudo em um lugar como o Harlem. Luke é um cara gente boa, honesto e bondoso, o que o deixa um personagem ainda mais interessante.
Agora que já mencionei este lado, vou contar um pouco da história (sem spoilers, claro) por trás da temporada. Luke tem dois empregos e mora em Bed-Stuy e mora de aluguel, levando uma vida sem muitos luxos, mesmo com seus poderes de pele impenetrável e super força – quase um Hulk sem esteroides. Mesmo com incentivos de Pop, seu amigo e patrão, ele prefere levar uma vida sem chamar atenção.
Contudo, merdas acontecem. Uma coisa vai levando à outra e Luke se vê no centro do furacão, agora decidido a combater o crime sem se esconder, o que gera um misto de justiça e desconfiança por parte das pessoas, algo muito trabalhado em filmes e séries de super-heróis. Entretanto, aí está o diferencial: Luke não se esconde por trás de uma máscara.
Vou começar com os pontos positivos. Além do tema e do protagonista serem bons, o vilão Cornell Stokes, apesar de ser inferior à Wilson Fisk, Kilgrave e o Justiceiro (mesmo este último sendo mais um anti-herói), chama atenção. Várias pessoas disseram que foi uma bosta e tal, mas eu o achei particularmente interessante, com sua risada foderosa e sua aparência imponente; a cena em que ele aparece em foco logo no primeiro episódio, com uma coroa ao fundo, é bastante simbólica. Diferentemente das duas outras séries da Netflix, em Luke Cage não vemos somente um vilão, mas dois, que se eu revelasse a identidade estaria spoilando um pouco.
Misty Knight também é uma personagem bem legal. Inteligente e charmosa, mesmo muitas vezes sendo ingênua e impulsiva até demais, chama a atenção por sua habilidade de reconstituir os crimes em sua própria mente. No quesito “personagem feminina foda”, ela só fica atrás de Claire, o amorzinho de praticamente todo mundo. Sim, como eu li em algum comentário por aí, ela é praticamente o Stan Lee das séries.
Outros personagens que têm muita importância na trama, como Shades e Mariah Dillard, também são dignos de nota. Alguns menores, como Bobby Fish e o onipresente Turk Barrett, também são bem legais e possuem seus momentos.
Agora devo confessar algo bem controverso. Eu achei a primeira temporada de Luke Cage superior às respectivas primeiras temporadas de DD e JJ, pois é. Eu sei que o queridinho dos fãs é Demolidor e que LC sofreu várias críticas principalmente por seu vilão, mas parafraseando o próprio Luke na série, gosto é igual c*. Achei o ritmo mais agradável e menos oscilante.Claro que a série possui pontos negativos, principalmente o vilão final. Não dá pra explicar muito mais que isso, mas por causa deste fato os últimos episódios não foram tão empolgantes quanto os outros. Alguns detalhes como a “ligação inexistente” nos celulares dos personagens incomodam um pouco, mas é besteira pensar que isto atrapalha toda a experiência. Fiquei mais incomodado com a cena em que o Luke escova os dentes com a torneira aberta, gastando a água do planeta à toa. Greenpeace já tá de olho.
Realmente a série foi uma grande surpresa. Eu já esperava que fosse ser boa, até porque a Netflix não costuma decepcionar, mas nunca imaginava que fosse ser tão boa. A forma como eles conseguiram deixar interessante um herói que é quase invencível foi incrível, e até agora, pra mim este foi o melhor começo de um super-herói dos Defensores.

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • O Juice Shades é foda demais, cê é louco.
  • Misty é massa, mas podia ser menos atrapalhada, né.
  • Vamos listar algumas cenas fodas da temporada: aquela em que o carinha quebra a mão quando tenta socar o Luke; a do discurso do Luke enquanto o moleque aponta uma arma pra sua cabeça; o sorrisinho do Luke pro Domingo no episódio 7; e a cena em que o Diamondback atira com a mão esquerda enquanto faz sinal com a direita.
  • Note que eu falei “Diamondback” ali em cima e não “Kid Cascavel”, até porque é uma puta tradução bosta, né.
  • A morte do Pop foi muito bem feita, bateu o feels.
  • Fiquei bem “Sweet Christmas!” quando o Cornell explodiu o restaurante no episódio 3.
  • Que policial fdp aquele Scarfe, hein.
  • Acho que todo mundo agora verá a palavra “café” com uma conotação totalmente diferente.
  • Minhas fases de análise da Reva: de “ah, que amorzinho!” à “vsf, otária”.
  • Por favor, diga que não foi só eu que achei o ator do Diamondback parecido com o Samuel L. Jackson.
  • A cena do Luke fingindo que havia perdido a memória foi sensacional, até eu acreditei, hahaha
  • Claire moralizando a Misty: gostamos.
  • Fiquei meio “que” com a morte do Boca de Algodão, jurei que ele ia ter sobrevivido de alguma maneira.
  • Luke + Misty dos quadrinhos: Jax de Mortal Kombat.
  • Que luta diferente aquela entre o Luke x Diamondback. Teve até plateia.
  • Não entendi aqueles estilhaços de bala que foram retirados no episódio 10. A não ser que todos eles tenham se juntado em um mesmo lugar, pareceu mais um erro de roteiro.
  • Eu percebi que shippo a Claire com todo mundo, se bobear até com a Jessica.
  • Normalmente as pessoas ficam mais fodas de barba, mas achei o Luke mais badass careca e sem pelos no rosto.
  • Fiquei até com pena do Cornell depois, tinha muito potencial. Mais um vilão que foi fruto de sua própria criação.
  • Mariah ter se safado foi um ótimo paralelo com a política atual.
  • Pode vir, Punho de Ferro!

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Luke Cage
Com todas as qualidades de um herói e mais um pouco, Lucas Jaula praticamente reina absoluto na temporada.

Só de olhar pra essa imagem já vemos que o cara é foda
Só de olhar pra essa imagem já vemos que o cara é foda

+ Melhor episódio: S01E03 (“Who’s Gonna Take The Weight?”)
Uma sequência de luta de tirar o fôlego, revelações bombásticas e um final frenético são alguns dos elementos deste episódio.

Fifty Shades of Grey (2015)

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?