Séries

Prison Break: 2ª Temporada (2007)

• Fase Dois

Nossos queridos personagens escaparam da prisão, ihuuuu!
Bastou uma temporada de 22 episódios para o gênio Michael Scofield concluir seu plano de escapar da cadeia junto de seu irmão Lincoln Burrows, que havia recebido uma divertida pena de morte. Para isso, precisaram obviamente de ajuda interna e acabaram fugindo com alguns companheiros que após a fuga acabaram ganhando o apelido de “Fox River Eight”, os “Oito de Fox River”, um puta apelido foda, vamos combinar.
Michael, Lincoln, T-Bag, Sucre, Abruzzi, Tweener, C-Note e Haywire agora têm a missão de sobreviver e escapar da caça que tomou conta do país, liderada por Austin Mahone, aquele cantor famoso Alexandre Mahone, um homem com genialidade semelhante à de Scofield e que passa a ser uma constante e grande ameaça aos fugitivos. Aliás, pelo fato de finalmente alguém ter a inteligência parecida com a de Scofield faz de Mahone a surpresa e o melhor personagem da temporada.
A história agora é basicamente essa: a segunda fase da fuga dos prisioneiros. O clima é diferente, não é mais aquela coisa de planejar cada ação e ganhar aliados para aos poucos ir ganhando espaço para fugir de um lugar – agora o ritmo é mais acelerado e em raros momentos a trama fica lenta. Além de tudo, a presença de Mahone e a ameaça da Companhia (multinacional do mal) só atenuam isto.
Logo no primeiro episódio acontece um evento que já deixa a gente tipo “EITA“. Ao final deste capítulo vemos que realmente a série não perderia a qualidade pelo fato de não mais se passar dentro de uma cadeia, o que pode ser que tenha passado na cabeça de alguém que acabara de terminar a primeira temporada.
Outros personagens já introduzidos voltam a aparecer, como Sara Tancredi, Veronica Donovan, Bellick e o fdp do Kellerman. Cada um deles com um arco igualmente interessante, suas personalidades são mais desenvolvidas e ficam cada vez mais importantes para a trama principal. Além deles, L.J. retorna, o filho-com-nome-de-rapper do Lincoln.
T-Bag continua como aquele cara nojento e ardiloso mas que a gente estranhamente gosta de ver na série, Sucre permanece como o amigo gente boa em que a gente pode confiar e Lincoln continua bem, o Lincoln. Alguns personagens que apareciam bastante na primeira temporada perdem um pouco de destaque, dando lugar a outros com uma participação mais relevante na história principal.
Ainda assim, acho a primeira temporada superior à segunda. Inclusive, acho que a primeira de Prison Break é possivelmente a melhor de uma série que eu já vi até hoje, e por isto fica difícil superá-la. Mesmo com todos estes fatores, a segunda temporada de PB não decepciona e nos deixa ainda mais ansiosos pelo desenrolar conspiratório da trama.
É uma pena que após esta temporada a série tenha caído tanto. A terceira e a quarta já não possuem o mesmo brilho, com um enredo meio exagerado às vezes, um tanto quanto repetitivo e nem tão interessante. Porém, como estou analisando aqui somente a segunda, digo com propriedade: pegue a pipoca e não tenha medo de assistir ao segundo capítulo da história alucinante de Michael Scofield.

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • T-Bag ou Jaime Lannister, o tempo dirá quem foi melhor.
  • Porra, fiquei em choque quando a Veronica levou um tiro na cabeça logo no primeiro episódio.
  • A morte do Abruzzi foi épica demais, cê é loko.
  • Ah não, Sucre, precisava vir de trairagem naquela hora?
  • Coitado do Tweener.
  • Kim assassino dos flango.
  • Acho que o Sucre deve ter falado “Maricruz” aproximadamente 946890546 vezes na temporada.
  • O Haywire é muito louco kkk
  • Bellick e Geary, dois tiras da pesada.
  • Aquele Steadman era um bostinha, né.
  • Personagem perdendo a mão, mortes, incesto, Prison Break tá me lembrando muito Game of Thrones.
  • O Kim já foi tarde, credo.
  • Sona: mais um desafio para Michel Scoufilde.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Alex Mahone
Com uma inteligência parecida com a de Michael Scofield, Mahone se impõe e mesmo sendo irritante em muitos momentos foi o grande destaque da temporada.

Seu guarda, eu não sou vagabundo, não sou delinquente
Seu guarda, eu não sou vagabundo, não sou delinquente

+ Melhor episódio: S02E19 (“Sweet Caroline”)
Com uma revelação inesperada, este episódio é um dos vários que poderiam ser considerados como o melhor da temporada.

"Sweet Caroline" só me lembra esse cara
Sweet Caroline” só me lembra esse cara

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?