Séries

Game of Thrones: 4ª Temporada (2014)

• Valar Morghulis

Enquanto começo a escrever esta crítica, a música da abertura de Game of Thrones versão funk não sai da minha cabeça. E é embalado por esta versão maravilhosa que inicio o mais novo pitaco.
Quando comecei a ler os livros da saga As Crônicas de Gelo e Fogo, esta temporada ainda estava pra sair, sendo que li todas as cinco obras disponíveis até então entre dezembro e abril de 2013/14, eu acho. Por isso, assim que eu acabei A Dança dos Dragões, foi uma questão de semanas até eu assistir as três temporadas que haviam lançado e me preparar para a quarta, a qual consequentemente foi a primeira que assisti sincronizado com o resto do mundo.
Nesta época, eu estava viciado pra caramba em todo o universo criado pelo mestre George. Não que eu não esteja hoje, mas em 2014 meu hype tava mais alto do que nunca, até porque tudo ainda era muito novo. Eu ficava lendo teorias sobre os próximos livros, sofrendo junto com outros fãs do grupo do Facebook Game Of Thrones da Depressão, coisas naturais para um fã da saga.
Apesar de ter gostado bastante da terceira temporada, a quarta me agradou muito mais. Mesmo com as crescentes divergências em relação aos livros, achei a trama aqui muito mais desenvolta e agradável, então irei falar de cada arco separadamente, começando pelo enredo de Porto Real.
Após ter ordenado o massacre horrível do Casamento Vermelho, Tywin e os Lannister estão mais fortes do que nunca. Claro que o Tyrion talvez não entre nesta equação, mas o poder da casa de Tywin agora está ainda mais inquestionável e o menino Joffrey cada vez mais filho da puta desagradável. Mesmo com todas estas coisas a favor, um misterioso homem chega a Porto Real e promete agitar aquela espelunca. E este homem é Oberyn Martell.
Pra quem não sabe, os Martell são uma das casas dos Sete Reinos e residem em Dorne, no sul de Westeros. Os Martell possuem um histórico marcante de rebeliões, e Oberyn, conhecido como Víbora Vermelha, também está entre eles, principalmente porque sua irmã Elia (antiga esposa do príncipe Rhaegar Targaryen) havia sido morta brutalmente por Gregor Clegane à mando de Tywin Lannister durante a queda dos Targaryen.
Oberyn é logo de cara um personagem notável, pra mim o melhor da temporada. Sua falta de escrúpulos e seu desejo de vingança, aliados a seu enorme carisma, conquistam todo mundo que cautelosamente passa a torcer por ele. Sim, cautelosamente, até porque nunca é muito bom torcer para um personagem mais bonzinho em Game of Thrones, né.
De Porto Real eu pulo para o extremo norte, para o núcleo do nosso amiguinho João das Neves. Após fugir das flechas do amor de Ygritte, Jon retorna à Patrulha da Noite e explica quais fitas fez enquanto estava do outro lado da Muralha. Contudo, a Patrulha deve se preparar pois a ameaça dos selvagens está cada vez mais perto, e não só Jon como também Sam Tarly precisam lidar com estes probleminhas.
Ainda no Norte, Bran, Rickon, os Reed e Hodor continuam sua caça mística. Passando por vários perigos pelo caminho, a gangue não desiste e ainda que eu ache a trama deles meio tediosa, acaba ficando mais legal com o tempo.
Além destes enredos no extremo Norte de Westeros, temos as histórias do Norte, mas não tão Norte assim – envolvendo Theon Greyjoy e os Bolton. Agora que os Stark estão supostamente extintos, Roose Bolton é quem lidera Winterfell, mas a gente começa a perceber que se pá precisamos ter mais cuidado com seu bastardo psicopata, o torturador sádico Ramsay Snow. Interpretado de forma excelente por Iwan Rheon, Ramsay é mais um na lista de personagens odiáveis de Game of Thrones.
Contrastando com os personagens detestáveis, temos agora a queridinha dos fãs Arya Stark, que continua sua jornada rumo a lugar nenhum com seu parceiro improvável, o Cão de Caça. Isso mesmo, Cão de Caça, porque esta tradução é infinitamente mais badass que “”””Perdigueiro””””. Mas enfim, isto não vem ao caso. O que é importante mesmo é que o arco dos dois também é bastante interessante, mostrando a evolução da garota Stark, e também acaba sendo por vezes divertida.
E falando em garotas Stark, temos também nossa sonsa Sansa, ainda refém das políticas de Porto Real. Não vou dizer nenhum spoiler, mas já deixo um aviso: sua personagem muda muito nesta temporada. Quem sabe ela não fica foda no futuro?
Por último, devo abordar a outra queridinha Daenerys Targaryen. Claro que além dela ainda temos muitas outras tramas, como as de Yara/Asha Greyjoy, Jaime Lannister, Bronn, Brienne e Cersei, mas se eu for falar de todas aqui este texto vai ficar grande demais. Então vamos direto ao ponto.
Dany Targaryen, depois de ter sido acolhida pelo povo, deve lidar com as consequências de seu domínio na Baía dos Escravos. E para isso mais do que nunca precisará da ajuda dos seus aliados, um deles com um rosto totalmente diferente (o ator que fazia o Daario Naharis, o peguete da Dany, foi substituído, o que pode causar um pouco de confusão).
Bom, espero que não tenha esquecido nada importante. AH É MESMO, AINDA TEMOS O STANNIS, A MELISANDRE E O DAVOS. Ah, mas foda-se. Eles nem aparecem tanto nesta temporada, só mais pro finalzinho mesmo.
Como eu disse no começo da minha crítica, que mais parece uma sinopse gigante, a evolução que ocorreu entre a terceira temporada e a quarta é gritante, lembrando que aqui estou ignorando a fidelidade à obra original e somente considerando a qualidade da série em si. Com mais momentos de ação, mais choques e mais segredos revelados, lembro de ter ficado todo domingo ansioso pelo próximo episódio de Game of Thrones.
É isso aí, galera. Ainda que a série não seja perfeita, levando em conta também a fidelidade à obra original, esta temporada me agradou pakas. E é por isso que sem dó, dou a nota máxima deste blog singelo, 5 Lelecos sem nenhum arrependimento.

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Por já ter lido os livros, eu já sabia o que aconteceria com o Oberyn. Mas puta que pariu caralho porra que isso merda pqp que droga foi aquela meu pai do céu. Fiquei chocado com a cena dele morrendo.
  • E chega a dar raiva também, né. Ele tinha a vitória nas mãos, pra que foi fazer graça. Af, nunca vou superar.
  • Stannis chega no final pra salvar a porra toda. Que homem.
  • Não teve bunda da Daenerys nesta temporada mas teve bunda do Daario. Acho que tem pra todos os gostos nessa série.
  • Que cenaaaaaaa do caralhooooo aquela do discurso do Tyrion. Sério mesmo, esse cara merecia o Emmy, o Oscar, o Grammy, a Copa do Mundo só por aquela cena. “I demand a trial by combat” – até arrepio.
  • E ele não cansa de causar, né?? Além de tudo ainda matou a traidora da Shae e o cuzão do pai dele. Que homenzinho da peste.
  • Até o Sam tá pegando alguém e você aí em casa.
  • Ygritte era legal e tals, mas não fiquei nem um pouco triste pela morte dela. Acho que tô com o coração frio.
  • E foi estranhamente zoeiro aquele molequinho a matando e dando um sorrisinho de “me agradece depois” pro Jon. Não sei porque achei engraçado, realmente devo estar com o coração frio.
  • Sinistro aquele Caminhante Branco transformando o bebê.
  • Vou sentir falta da dupla Arya e Sandor. Pô, Briennão.
  • Jorah se fodeu; mas também foi muito vacilão, né. Barristan vai tomar o lugar dele.
  • Mindinho empurrando a Lysa foi muito épico kk
  • O JOFFREY MORREEEEU LALALALALALA O JOFFREY MORREEEEEU LALALALA.
  • Os senhores Petyr Baelish e Olenna Tyrell são meus mais novos ídolos.
  • Mano, a diferença entre o Joffrey e o Tommen é gritante. Mó pastelão o lek mais novo.
  • Pô, tadinho do menino Jojen Reed. Mas pelo menos finalmente chegaram ao mago zika das árvores.
  • Bran controlando o Hodor e matando o cara lá foi muito doido. Pena que ele não chegou a se encontrar com o Jon.
  • Mal posso esperar pra ver o que vai rolar com o Tyrion e o Varys agora. Vem ni mim, quinta temporada.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Oberyn Martell
Obstinado, carismático e safadão – apenas algumas características do mais novo personagem da série.

Quando seu primo mais novo pega algum brinquedo seu e você não pode demonstrar o quanto está puto
Quando seu primo mais novo some com algum brinquedo seu e você tenta perguntar gentilmente aonde está

+ Melhor episódio: S04E08 (“The Mountain and The Viper”)
Ainda que o episódio 9 seja foda e extremamente bem feito, se você perguntar por aí qual o momento mais marcante da temporada, a maioria dos fãs escolherá algo que aconteceu neste capítulo. Simplesmente inesquecível.

Fiquei mais ou menos assim na fatídica cena deste episódio
Fiquei mais ou menos assim na fatídica cena deste episódio

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?