Séries

Supernatural: 5ª Temporada (2009/10)

• O Inferno está chegando

Vocês já ouviram falar em um canal do YouTube chamado “How It Should Have Ended”? Se não, vou explicar. Lá a galera posta vídeos em animações sobre como um determinado filme deveria ter acabado. Por exemplo, no episódio sobre o Harry Potter, uma das coisas que eles fizeram foi mostrar o Snape girando o vira-tempo por anos e anos, até chegar no momento em que Tom Riddle, ainda adolescente, tá conversando com o Dumbledore. Então, Snape solta um fodendo Avada Kedavra no futuro Voldemort, resolvendo toda a parada.
Por que eu tô falando disso? Já chego lá. Nesse canal que falei, que traduzindo é “Como Deveria Ter Acabado”, eles basicamente dão finais que poderiam ter resolvido toda a problemática da trama de uma maneira mais fácil, pegando um atalho. Supernatural deveria ter acabado na quinta temporada. Não precisaria nem de um vídeo do “How It Should Have Ended”. Os responsáveis pela série poderiam simplesmente ter usado a própria season finale como um vídeo do canal. Infelizmente, escolheram o caminho errado.
A primeira coisa que sou obrigado a dizer é, dois pontos, que temporada do caralhoSupernatural sempre foi uma série divertida, desde o começo, mas a quinta temporada trouxe algo a mais na história dos Winchester. Ela volta a trazer um conceito interessantíssimo (embora hoje já esteja saturado) de que anjos às vezes podem ser piores que demônios. Além disso, apresenta a figura de Lúcifer como um cara frio, sem escrúpulos e com um ar de quem já morreu por dentro há muito tempo.
Na season finale passada, nosso querido e esperto Sam matou a Lilith, o último passo que faltava pro tio Lu voltar de vez do paredão infernal. A ameaça da temporada é obviamente ele, e uma das tantas missões (rá! missões) é encontrar a única entidade que poderia dar conta de derrotar o demônio. Qual a única coisa que pode derrotar o mal? Pra quem você reza (caso acredite em algo) quando está passando por problemas? A procura por Deus é um dos objetivos do quinto ano da série, e no caminho diversos elementos bacanas nos são apresentados.
Além de Lúcifer e Deus, temos os icônicos Cavaleiros do Apocalipse. Pra quem não sabe, são quatro: a Guerra, a Fome, a Peste e a Morte. Imagine cada um destes sendo representados por personagens muito bem interpretados. A personificação de cada uma dessas maldições, se é que podemos chamar assim, é muito bem feita na série – principalmente a última, que conta com uma das cenas mais famosas de Supernatural.
Além das novas características, SPN não deixa de contar com coisas já conhecidas do universo criado pelo roteirista Eric Kripke. Ele, inclusive, deixou a série após a quinta temporada, o que explica muuuuita coisa. De qualquer forma, mesmo com tantas novidades, a quinta temporada de Supernatural ainda conta com os seguintes componentes: 1) pessoas, anjos e demônios sendo esfaqueados; 2) fumaça negra voando por um recinto; 3) alguém tentando matar o outro pelas costas mas não conseguindo porque esse outro vira bem na hora e o mata; 4) feels entre irmãos e cenas dignas do Vin Diesel falando de “família” em Velozes e Furiosos; 5) mortes e ressurreições.
Contudo, um dos antigos recursos da série que nessa temporada evolui muito é a presença dos chamados fillers. Nas primeiras temporadas, isso era mais presente – vários episódios que não acrescentavam nada à trama principal e estavam lá somente para encher a quantidade necessária de capítulos. Porque, sabe, é muito mais difícil estabelecer um número menor de episódios, muito complicado de se fazer, né. No quinto ano de série, até mesmo alguns episódios que parecem ser fillers acabam que não são fillers, e agora, puxando pela memória, não consigo me lembrar de nenhum capítulo da temporada que poderia ser descartado, diferentemente do que a obra costumava fazer nas primeiras produções.
Ponto positivo para a construção das histórias, ponto positivo para o amadurecimento de SPN e ponto positivo para os personagens. Todos são muito bem desenvolvidos. Dean é um dilema ambulante de solidão. Sam é o revoltado que de vez em sempre faz merda. Bobby é o paizão. Lúcifer é o vilão poderoso. Os anjos alternam entre o bem e o mal, dependendo de quem analisa. Os demônios estão lá para encher o tanto de antagonistas, igual aos comparsas em filmes de herói. Todos possuem seus respectivos papéis muito bem estabelecidos, e dá gosto de ver que cada um gera em nós uma sensação diferente.
Agora, os defeitos. Algumas partes do enredo acabam se tornando um pouquinho repetitivas, e eu tinha plena consciência de que, em alguns momentos, os únicos que corriam um real perigo eram os personagens secundários, o que considero um ponto negativo em uma série tão cheia de mortes. Outro ponto fraco é algo recorrente no universo dos Winchester: a grande quantidade de episódios. Infelizmente, isso torna as coisas às vezes um pouco mais arrastadas do que deveriam. Pelo amor, tem que ter alguma maneira de aplicar uma lei que proíba temporadas com mais de 20 capítulos, eu não aguento mais aaaaaaaa
No panorama geral, essa é de longe a melhor temporada de Supernatural, e eu sinceramente duvido que algum dia eles façam alguma melhor. Eu ainda não comecei a sexta, mas como meu irmão é fã da série (na verdade fã dos atores) eu já tenho a informação privilegiada de que depois da quinta temporada a coisa fica um lixo total, com alguns bons momentos isolados. Pelo que ele me falou, a 9ª e a 11ª são legais, mas vai saber. O que eu tenho plena certeza de acordo com meus próprios pensamentos é de que, para a minha tristeza, Supernatural desperdiçou aqui o que poderia ter sido o final perfeito.

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

{Nota nº 3: bateu aquela curiosidade de saber qual exatamente é a nota desta temporada, sem arredondamentos? Se sim, dá uma olhada aqui nesse link. Se não, pode dar uma olhada também: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/gabarito-do-leleco/}

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Pensa num desfecho maravilhoso: Sam e Adam presos para sempre no Inferno, um Dean quebrado internamente com Lisa, uma coisa bem sombria. Seria tão perfeito que dá até raiva de saber que não pararam por aí. Agora imagina também o fato da temporada ter acabado com o Sam olhando pela janela, teria colocado todas aquelas teorias de que “será que ele tá vivo ou aquilo foi só algum tipo de visão?”. Cara, tudo que a trama fez nesta temporada foi para encerrar a série, depois simplesmente jogaram tudo no lixo. Isso me deixa puto até hoje.
  • Aquele episódio que tá todo mundo dentro de um sitcom é muito bom, velho kkkk
  • Que satisfação maravilhosa ver o Zacarias morrendo *——*
  • Ooooooooooooh death, ooooooooooooooh death (que delícia de introdução de personagem)
  • E aí, qual Cavaleiro vocês acharam mais foda e por quê? Guerra, Fome, Peste ou Morte? Pra mim, obviamente, a Morte é a mais zika. Provavelmente é o ser mais poderoso em todo o universo, e se não tivesse dado o anel (nossa!) de bom grado pro Dean, talvez ele não tivesse conseguido obtê-lo.
  • Affffff minha crush Jo morreu :((( e a Ellen também :((( e o sacrifício delas não adiantou em nada, porque a Colt não funcionou :(((
  • Todos sabemos que a única criatura que poderia ter pegado facilmente todos os anéis dos Cavaleiros é ninguém menos que Gollum.
  • Será que o Dean estava dando um migué em Miguel?
  • Meg da primeira temporada >>>>>>
  • Arrow Supernatural – O Duelo Final: quem ressuscita mais personagens?
  • MEU CHUCK DO CÉU, AQUELA REVELAÇÃO DE QUEM É DEUS NO FINAL………
  • Cara, a quinta temporada me apresentou a teoria mais legal que eu já vi do que poderia ser o Paraíso. Fico imaginando se cada um tivesse o seu próprio céu, baseado nas suas melhores memórias. Aff, quando eu morrer espero que seja assim mesmo.
  • {Tópico somente para expressar a extrema falta de sentido em um shipp de Destiel}
  • A pergunta que fica é: Ben é filho do Dean?
  • Cê vê que a família é bem engajada nas questões espirituais quando o meio-irmão de Sam e Dean se chama Adam.
  • Gostei daquele Crowley, tô curioso pra ver mais sobre ele no futuro.
  • Como será que Sam sobreviveu? Ele está realmente vivo? Como Dean vai lidar com a situação? Qual é a próxima ameaça? Sexta, no Globo Repórter.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Lúcifer
Espero não estar sendo herege, mas o rei da temporada foi o Demônio.

É só você fazer assim… que eu volto

+ Melhor episódio: S05E22 (“Swan Song”)
Supernatural é repleto de bons episódios. No entanto, este é o desfecho perfeito de uma série que não soube quando terminar.

Quantas temporadas SPN deveria ter tido, Chuck?

+ Maior surpresa: Castiel
Um personagem que começou como secundário ganhou MUITO mais destaque e hoje pode ser considerado como um dos carros-chefe da obra. No pitaco da quarta temporada, Castiel foi o melhor personagem. Então, como um cara que ganhou esse prêmio pode ter sido “rebaixado” a uma “mera” surpresa? É simples. Na temporada passada, ele foi o melhor por ser o único a trazer algo diferente para a série. Nessa, já mais consolidado, ele só não é o maior destaque porque temos Lúcifer. Ainda assim, surge como surpresa por apresentar mais camadas do que antes. É a primeira vez na história desse blog que alguém ganha o troféu de Melhor Personagem e depois o de Melhor Surpresa. Testemunhem!

Castiel & O Molotov Divino

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?