Séries

The Walking Dead: 2ª Temporada (2011/12)

Pouca ação, muita emoção

 

Depois de apresentar em uma curta temporada o universo urbano destruído de TWD, a segunda tem como principais locações a zona rural e as estradas.
A partir desta temporada que vemos a maior característica da série entrar em ação: o drama das pessoas que se sentem perdidas e abandonadas com tamanho caos e suas relações desconfiadas e incertas com outros sobreviventes? A presença de zumbis implacáveis que ameaçam toda a vida humana na Terra? Os conflitos internos daqueles que perderam tudo e observam o fim do mundo com olhos tristonhos e cansados?
Se você achava que era uma destas opções, então [leia com a voz do Faustão] você errrrrou. A principal característica de TWD que começa a se mostrar presente é a incrível burrice de alguns personagens.
É nesta hora que você provavelmente fala: “ain, mas você não sabe como é viver em um apocalipse e então não saberia como agir nas situações da série, ain”. Pois é, verdade. Mas isto não anula o fato de que algumas ações dos personagens são bem idiotas.
Por outro lado, outras são bem úteis, como por exemplo o fato de Carl estar fazendo suas tarefas de casa. Pois quem sabe, né, pode ser que um zumbi pergunte a ele a fórmula de Baskhara ou algo parecido. Ainda bem que sua mãe Lori toma conta de seu filho com sabedoria: “mesmo com o mundo acabando, nunca desperdice a chance de ganhar 0,5 ponto”.
Se você não se importa em assistir à uma temporada um pouco mais lenta, você não irá se incomodar. A história continua ótima, e fica ainda melhor com a adição de alguns personagens novos e importantes. Hershel, Maggie, Beth já começam a mostrar sua relevância e Daryl começa a despontar como o queridinho da galera. Se você me perguntar, eu sempre acharei o Rick o melhor da série, mas dá pra entender quem curte mais o arqueiro Dixon.
Esta temporada muitos consideram parada demais, e que dá um pouco de preguiça de acompanhar. Eu, por outro lado, não achei ela monótona, e maratonei os episódios em um curto espaço de tempo. Além do mais, é aqui que vemos um dos episódios mais emocionantes da série até hoje, e que me fez derramar algumas lágrimas, confesso (sério, se você não chorar pelo menos um pouquinho você com certeza não tem coração).
Então é isso aí, vá em frente e desfrute dos zumbis atraentes da segunda temporada.

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Rick matando Shane que vira zumbi e é “morto” de novo pelo Carl: não tem preço.
  • Glenn pegador.
  • Mano, e aquela cena da Sophia saindo do celeiro??? Aff, assim meus olhos suam :/
  • Será que o bebê da Lori vai se parecer com o Rick ou com o Shane? Risos.
  • “Isto não é mais uma democracia” – Rick Grimes, senhoras e senhores.
  • Daryl Dixon andando de moto entre os zumbis, normal.
  • Quem não se assustou quando o Carl levou um tiro enquanto observava um cervo que atire a primeira pedra.
  • Meu sonho se realizou. Uma pessoa encapuzada usando uma espada finalmente apareceu.
  • Dale 🙁
  • T-Dog mais secundário que o zumbi do poço. Aquela parte foi massa, inclusive.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Shane
Sim, ele é um grande fdp, concordo. Mas não há como negar que ele foi o cara que mais se destacou nesta temporada, certo?

"Shane on you, Rick!"
“Shane on you, Rick!”

+ Melhor episódio: S02E07 (“Pretty Much Dead Already”)
Cara, escolhi esse episódio como o melhor da temporada porque a cena final dele, que eu já mencionei ali em cima, é uma das mais marcantes e incríveis que eu já vi em séries de televisão. Os três últimos episódios também são sensacionais, com outro icônico momento que acontece no ep. 12.

Rick Grimes e sua mania de atirar nos pés das pessoas
Rick Grimes e sua mania de atirar nos pés das pessoas