Filmes

Capitão Fantástico (2016)

• Estilos de vida

Este filme foi uma surpresa em todos os sentidos.
Estávamos eu e minha família sentados ao redor da mesa tomando a complicada decisão de qual filme assistiríamos no cinema naquela noite. A verdade é que, tirando Star Wars: Rogue One (que eu já tinha assistido) e Minha Mãe é Uma Peça 2 (que o meu irmão já iria assistir com a namorada) não sobrava muitas opções, e uma delas era justamente Capitão Fantástico, ao lado de Invasão Zumbi e um outro lá.
Já dava pra ver que não tínhamos muitas opções de qualidade. E é sempre assim, quando a gente não vai no cinema eles lançam Titanic 2, um novo O Poderoso Chefão, Esqueceram de Mim 27, mas quando a gente decide ir só tem em cartaz Centopeia Humana. Parece que estão de sacanagem.
Mas enfim, assistimos rapidamente ao trailer de Capitão Fantástico (eu até pensei que se tratava de mais um filme de super-herói) e apesar de quase todo mundo aqui achar que seria meio “água com açúcar”, eu estranhamente estava imaginando que seria bom. E então lá fomos nós para o shopping ver qual era a desse filme.
Ele começa meio estranho, um pouco lentão. Contudo, a partir do momento em que a história engrena, as coisas começam a ficar maravilhosas. O enredo é sobre uma família que mora no meio de uma floresta, com hábitos totalmente diferentes dos nossos; devido à morte da mãe, o pai leva os 6 (seis!!!) filhos para a cidade, algo que eles ainda não conheciam.
Durante a vida toda, os filhos estudaram em casa e se tornaram verdadeiros gênios, com conhecimentos maiores que os da maior parte dos garotos daquela idade. Porém, tudo o que eles sabem é o que está escrito nos livros, e por isso não têm a mínima ideia de como agir em meio à outras pessoas em um ambiente totalmente desconhecido.
O filme mostra como pode ser incrível levar uma vida longe dos vícios e hábitos da atualidade, mas ao mesmo tempo aborda o outro lado, de que os garotos são absurdamente inteligentes ao mesmo tempo que são absolutamente ignorantes e dependentes da figura do pai. É realmente uma pena que várias pessoas não entenderão o que Capitão Fantástico quer passar pois ficam presos naquela briguinha de “esquerda” x “direita”, algo que o filme trabalha bastante sem tomar lados. Sério, vocês que ficam nessas intermináveis discussões poderiam parar um pouco com essa porra, né.
Além de tudo, a obra é tanto dramática quanto engraçada. Os diálogos e as situações pelas quais os personagens passam são bastante divertidas, o que torna Capitão Fantástico uma boa opção para se ver junto com a família.
Aliás, os personagens são um ponto forte da história. Começando por Ben, interpretado por Viggo Mortensen (o Aragorn de O Senhor dos Aneis), o homem que tenta fazer de tudo para educar seus filhos de uma maneira diferente, que possui uma filosofia de vida bem hippie e que é o protagonista do filme. Entretanto, os filhos também roubam a cena.
Bodevan, o mais velho, se espelha bastante no pai enquanto toma uma postura protetora para com os irmãos; sem contar que suas cenas na cidade são umas das mais legais. Vespyr e Kielyr, as irmãs ruivas, também são interessantes, e o Rellian, o outro irmão que lembra um pouco o Jonathan de Stranger Things, apesar de no começo parecer meio cuzão é trabalhado brilhantemente. Mas o melhor mesmo guardei para o final: Zaja e Nai.
Os dois irmãozinhos mais novos são uma coisa fofa demais de se ver. A primeira, Zaja, com seu jeitinho inocente cativa muito os telespectadores, mas quem brilha mesmo é o mais novinho, o Nai. Confesso que até metade do filme fiquei em dúvida se ele era um garotinho ou uma garotinha, algo que o filme propositalmente aborda de maneira espetacular – a falta de padrões com que a família vivia.
O desfecho, ao som de uma versão simplesmente maravilhosa de Sweet Child O’ Mine, taaaalvez tenha me feito derramar algumas lágrimas, ou às vezes foi somente o vento do ar condicionado, vai saber. A única coisa que sei é que Capitão Fantástico, com um pouquinho do estilo lindo de O Quarto de Jack, é um filme surpreendente e cativante que me fez ficar com vontade de abandonar tudo e ir morar num bosque. Caso você esteja em dúvidas de qual filme assistir no cinema, eis aqui a minha dica: assista Capitão Fantástico, tenho certeza de que não irá se arrepender.

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO O FILME. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Não tenho muito o que destacar aqui, somente algumas cenas:
  • A naturalidade com que Ben explica o que é sexo para seus filhos menores é algo lindo de se ver, e nos faz questionar o porquê de tratarmos o assunto como um tabu.
  • A parte em que Ben está pelado na porta do “Steve” é muito comédia kkk
  • O legal do filme é justamente esta preocupação em criticar os dois lados – a ideologia de Ben e a do avô. E repito, é uma pena que várias pessoas não percebam este fato. Tô batendo nessa tecla porque fui ler alguns comentários de pessoas que haviam assistido ao filme e vários criticaram o longa simplesmente porque “era coisa de comunista”. Pqp, mano, parece que tem gente que ficou presa na Guerra Fria. Tanta coisa bonita que o filme mostra e essa galera não consegue ver.
  • Quando fizer sexo com uma mulher, seja gentil e a escute. Trate-a com respeito e dignidade, mesmo se você não amá-la. Sempre diga a verdade. Sempre tome o melhor caminho. Viva cada dia como se fosse o último. Absorva-o. Seja aventureiro, seja corajoso, mas sobereie. Pois passa rápido. Não morra.” – sei que a tradução não é perfeita, mas foi o melhor que pude fazer, risos. Puta momento foda.
  • Outra parte foda: “Meu rosto é meu, minhas mãos são minhas, minha boca é minha, mas eu não. Eu sou seu”. Com certeza frases que não irei esquecer.
  • Ben no final apenas reforçou a ideia de que a barba fornece cerca de 300% de poder a mais ao homem.
  • Aquela cena do funeral, mano. Meus sentimentos não aguentam.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Nai
Com seu jeitinho inteligente e ao mesmo tempo tão inocente, Nai brilha naturalmente, mesmo com tantos outros personagens incríveis – menção honrosa ao Ben (interpretado tão brilhantemente por Viggo Morstein).

Na ordem da esquerda pra direita: Zaja, Ben, Kielyr, Rellian, Vespyr, Bodevan e Nai
Na ordem da esquerda pra direita: Zaja, Ben, Kielyr, Rellian, Vespyr, Bodevan e Nai

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou do filme. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?