Filmes

MCULeleco #06 – Os Vingadores (2012)

• A consolidação da Iniciativa

O cinema sempre teve crossovers marcantes. Alien vs Predador, Freddie vs Jason, Space Jam, todos eles reuniram personagens de diferentes mídias em um mesmo filme. Para rechear a lista, a Marvel veio com um projeto ousado de colocar todos os seus personagens já introduzidos em um único filme. Mas como fazer funcionar uma história com Homem de Ferro, Capitão América, Loki, Thor, Hulk, Viúva Negra e Gavião Arqueiro?
Se desse certo, Os Vingadores tinha tudo pra ser um divisor de águas não só no mundo dos super-heróis, mas em toda a sétima arte. Se fracassasse, outras empresas talvez não se arriscassem tão rápido a fazer o mesmo. A primeira opção se mostrou ser a correta. A reunião das estrelas da Marvel deu incrivelmente certo, misturando uma boa trama, uma excelente interação, cenas de ação espetaculares e um vilão brilhante. Os Vingadores é um marco em todo o cinema, querendo ou não. A seguir, você vai saber o porquê (música de suspense).

 

Sinopse

Após os acontecimentos retratados em Homem de Ferro, O Incrível Hulk, Homem de Ferro 2, Thor e Capitão América: O Primeiro Vingador, a Terra vive um momento de expectativa. A população agora conta com seres superpoderosos vagando por aí, e por aí eu quero dizer nos Estados Unidos, claro. Porém, a partir do momento que algo bom surge, algo mau entra em ascensão, e vice-versa.
A cena pós-créditos de Thor deu a entender que Loki seria um vilão principal em breve. Pois é, chegou o seu momento. Além disso, a arma que ele pretende usar é nada menos que o Tesseract, o mesmo que o Caveira Vermelha usava lá nos anos 1940. Os Vingadores começa com o nórdico adquirindo o artefato, e seu plano é dominar a porra toda com aquele cubo mágico brilhante. Beleza, não é a motivação mais original, mas Tom Hiddleston tá tão bem no papel que a gente nem leva isso em consideração. Para evitar uma catástrofe internacional e até mesmo interplanetária, Nick Fury, líder da S.H.I.E.L.D. – uma empresa secreta que cuida de ameaças não-convencionais – precisa reunir as pessoas mais extraordinárias da Terra para eliminar o problema crescente envolvendo Loki. Na Iniciativa Vingadores, ele convoca todos aqueles que já conhecemos nas outras obras anteriores, com o detalhe de que agora o Hulk é interpretado por Mark Ruffalo, pois Edward Norton decidiu não continuar no projeto comandado pelo produtor Kevin Feige. Além disso, a Viúva Negra ganha mais espaço e o Agente Barton, ou Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), também chega para ajudar.

O verdadeiro líder dos Vingadores

Crítica

Até hoje, mais de 20 filmes depois, Os Vingadores segue como um dos mais icônicos filmes do MCU. Sua maior qualidade é sem dúvida alguma a interação entre os personagens. Nos quadrinhos, havia muito a ideia de que os heróis iriam se juntar pelo bem maior e virariam amigos logo de cara, ainda mais se dois deles compartilhassem o mesmo nome da mãe. Em Os Vingadores, não é isso que acontece. A personalidade arrogante de Tony Stark se choca com o senso de dever do Capitão, mas sua familiaridade com tecnologia encaixa com o jeito de Bruce Banner. Enquanto isso, a Viúva e o Gavião possuem uma das melhores relações do filme, sem contar algumas menores, como a idolatria do Agente Coulson pelo Capitão do Degelo.
Todos os personagens possuem seus momentos de brilho, todos muito bem dosados. Nenhum ganha espaço demais em detrimento do outro. A Viúva, por exemplo, pra mim acaba sendo uma das melhores coisas da obra, ela que era meramente secundária em Homem de Ferro 2. Thor é o mais apagado, talvez por não ser muito carismático. Em compensação, seu irmão adotivo entrega ao MCU seu primeiro antagonista realmente bom. Se em Thor ele já tinha sido interessante, aqui ele é muito mais. Ainda há espaço para uma nova personagem, Maria Hill (Colbie Smulders), fazer parte da conta.
As batalhas do longa são muito bem dirigidas, ainda que eu perca o foco em alguns momentos das sequências finais, pelo fato de se estender um pouco demais. Contudo, o filme consegue driblar a monotonia botando cenas de alívio cômico sem forçá-las. Aliás, a comédia é outro ponto forte. A música-tema nasce lendária e algumas partes, que claramente foram feitas pra serem fodas, são mesmo fodas.

O Coulson sou eu no ônibus esperando alguém levantar (a tela verde ali tá top)

Veredito

Os Vingadores é de longe a melhor coisa da Fase 1 do MCU. Ele desbanca todos os seus antecessores com folga e é o tipo de filme que nasce clássico por tudo que ele simboliza. Ele deixa pra trás Capitão América: O Primeiro Vingador, Homem de Ferro 2, Homem de Ferro, Thor e O Incrível Hulk, nesta ordem. É o único capítulo da etapa inicial da Marvel a merecer realmente 5 Lelecos, sem dó.

Robin foi pra Marvel agora

 

Aviso: Tem duas cenas pós-créditos.

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO O FILME. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Mano, são tantas cenas fodas que fica difícil listar todas. Bom, temos o Hulk batendo no Loki e o chamando de “deus fraco”, o Tony falando que além de ter o traje de Homem de Ferro ele é gênio, bilionário, playboy e filantropo, a Viúva batendo em todo mundo depois de atender o celular logo em sua primeira cena, o Hulk socando o Thor, a cena giratória de todos eles olhando pro céu, o Tony dizendo que eles “têm um Hulk” depois de Loki falar que tem um exército… aaaaah, é muita coisa.
  • Usar a morte do Coulson como motivação para os heróis se juntarem por uma causa comum foi cruel, mas bem sagaz.
  • Lembro como eu fiquei meio chocado quando o Loki arrancou o olho daquele cara pro Barton conseguir passar por aquela porta. Pirei.
  • Espaço reservado para cantar a música-tema dos Vingadores, então lá vai: TAAAAAAAAAAAN, TAN TAN TAN DAAAAAN, TAN TAN TAAAAAAAN TAAAAAAN, TAN TAN TAN DAN TAN TAAAAAAAN (repete 10x)
  • Será que logo depois de ter escolhido se sacrificar por Nova York, o Tony teria se tornado digno de empunhar o Mjölnir? Fica o questionamento.
  • Para os fãs de Blindspot: gostaria que a Patterson tivesse aparecido mais kk
  • Mano, o Homem de Ferro chegando ao som de “Shoot to Thrill” segue como uma das melhores entradas de um personagem no cinema.
  • Como eu amo a parte em que o Capitão começa a dar ordens pros policiais e os convence após destroçar os inimigos. E sua capacidade de liderança, como no épico momento em que ele diz “Hulk…smash!”, é impressionante. Que homem!
  • #ApariçãodoStanLee: pouco depois da grande batalha, ele é filmado fazendo um questionamento: “super-heróis em Nova York? Me dá um tempo”. Ah, e tinha uma outra cena que acabou sendo cortada, na qual ele aconselhava Steve Rogers a pedir o número de uma garçonete.
  • Nada como encerrar um filme de grandes proporções com uma cena dos personagens comendo shawarma. A aparição do Thanos antes disso foi mero detalhe.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Loki
Em Thor, ele já era um bom vilão. Aqui, ele se elevou a um novo nível, até porque uma coisa é ser lembrado pelo filme de origem do Deus do Trovão, outra é ser colocado no patamar de Os Vingadores. Não é fácil se destacar em um lugar no qual o foco maior está nos mocinhos, mas Loki consegue. No placar dos Melhores do MCU até o momento, o marcador tem Loki e Tony Stark 2, General Ross e Steve Rogers 1, o resto nadica.

Momentos antes da merda acontecer™

+ Maior evolução: Bruce Banner/Hulk (menção honrosa à Natasha Romanoff/Viúva Negra)
Grande parte dos momentos épicos do longa é protagonizado pelo Gigante Esmeralda. Porém, ressalto que o filme é recheado de personagens brilhantes, e queria poder colocar todos eles em uma categoria exclusiva. Tony, Viúva (!!!), Capitão, Gavião e Nick Fury estão todos sensacionais. Thor está um pouquinho abaixo, mas também agrada.

Feira de ciências é tenso d+

+ Maior surpresa: Clint Barton/Gavião Arqueiro
Ele havia aparecido brevemente em Thor, mas passa a ser um dos principais a partir de Os Vingadores. Seus dramas pessoais e sua relação com a Viúva adicionam riqueza à obra.

Jogos Vorazes (2012)

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?