Filmes

MCULeleco #09 – Capitão América 2: O Soldado Invernal (2014)

• Mudança de estação

Olha, vou ser sincero. Pra mim, o MCU só começa verdadeiramente a partir deste filme. Antes disso, o Universo da Marvel oscilou entre bons, ótimos e medianos longas, com Os Vingadores como ponto fora da curva. A partir de Capitão América: O Soldado Invernal, o nível geral das obras se eleva bastante. Com uma abordagem mais séria e o melhor roteiro até então, o segundo capítulo solo da saga de Steve Rogers (Chris Evans) apresenta um elenco excelente, com Scarlett Johansson e Samuel L. Jackson reprisando os papéis da Viúva Negra e de Nick Fury, respectivamente, além de Robert Redford na pele de Alexander Pierce. Em uma investida corajosa da Marvel, O Soldado Invernal é um dos maiores destaques da saga cinematográfica.

 

Sinopse

Algum tempo depois de ficar bombado, fazer propagandas de guerra, salvar o mundo da HIDRA, conduzir um Titanic aéreo rumo a uma calota polar, ser descongelado, entender referências e liderar um grupo de super-heróis, Steve Rogers segue na ativa. Trabalhando para a S.H.I.E.L.D. (Supimpa, Heroico, Incrível, Espetacular, Legal e Divertido), o Capitão América dá continuidade à sua vida de soldado, ainda que seus inimigos não sejam mais os nazistas da Segunda Guerra Mundial.
A sua trajetória, no entanto, tá prestes a ter uma reviravolta não muito agradável. Com problemas internos na Agência, o Capitão se vê isolado e sem parceiros em um emaranhado de conspirações entre pessoas que ele considerava honradas. Tudo no que ele acreditava tá prestes a entrar em colapso, deixando-o sem saber em quem confiar. Com um novo aliado o auxiliando, o “piloto” Sam Wilson (Anthony Mackie), Steve Rogers precisa lidar com inimigos internos e mergulhar fundo em um mundo repleto de mentiras contadas por décadas. Acha que o bagulho para por aí? É claro que não! Pra piorar ainda mais a porra toda, um vilão misterioso dá as caras, com a alcunha de Soldado Invernal. Um braço de metal, um cabelo maligno e uma máscara tenebrosa – é com esse tipo de homem que o Capitão vai ter de tratar.

Simbolismo resumido em uma imagem

Crítica

O Soldado Invernal não é somente um filme de super-herói, mas essencialmente um filme de ação. Sua trama é mais bem desenvolvida em relação aos capítulos anteriores e a química entre os atores impressiona, sobretudo entre o Capitão e a Viúva, uma dupla que a gente não sabia que precisava. A aparição de Sam Wilson também acrescenta bastante à história, assim como os momentos de Nick Fury, o qual cresce demais. O Soldado Invernal é um antagonista que desperta medo e curiosidade, e até personagens secundários, como o Agente Brock Rumlow (Frank Grillo) e Sharon Carter (Emily VanCamp), a vizinha de Steve, acrescentam algo.
As coreografias das lutas são impressionantes, principalmente as protagonizadas pelo Capitão e o Soldado Invernal, além de uma cena específica no elevador. Os plot twists são bem colocados e alguns são bem inesperados. A condução dos diretores Joe e Anthony Russo é bem feita, fazendo com que o longa não perca fôlego na maioria do tempo dentro da sua duração de mais de duas horas. Em alguns momentos, as cenas ficam um pouquinho mais longas do que deveriam, e em algumas partes minha mente entrava em devaneio e começava a pensar em como tiveram coragem de lançar Esquadrão Suicida para o público. A conclusão é ótima e deixa muita margem para o futuro, com uma cena pós-créditos que fez com que os fãs de quadrinhos tivessem orgasmos múltiplos e pessoas que não conhecem tanto assim as HQs da Marvel ficassem pelo menos atiçadas.

Frank Grillado

Veredito

Pode se dizer que O Soldado Invernal é um dos melhores filmes do MCU. Não é o meu favorito, mas reconheço que tá pelo menos no top 3 de melhores roteiros e melhores momentos de porradaria frenética, além de provavelmente figurar no meu top 5 geral. Quando eu terminar de fazer todos, faço minha lista definitiva e mutável. De qualquer maneira, o segundo episódio solo do Capitão América é sério e soturno, mas consegue dosar bem seus alívios cômicos, não deixando nada ficar exagerado demais. Na minha escala, mereceria pelo menos 4,5 Lelecos, e talvez pudesse ser discutida uma nota 5.

É dos carecas que elas gostam mais 8)

 

Aviso: Tem duas cenas pós-créditos.

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO O FILME. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Ai, como a Natasha é inocente. Ela falando tanto pro Steve achar uma garota com quem ficar, quando tudo que ele queria era cair nos braços de Bucky Barnes. Desculpa, eu também tinha que entrar na onda.
  • É claro que o vilão seria o Pierce. E ah, é um tanto quanto revigorante ver um vilão que não é simplesmente uma criatura musculosa querendo dominar o mundo. Dar um rosto humano e mundano pra um antagonista é algo que deveria ser explorado mais vezes.
  • Ah, já que mencionei a questão romântica e tudo mais, a química entre o Steve e a Natasha é GIGANTE. Eu não sei se funcionariam como um casal, mas que os dois se encaixam perfeitamente como parceiros é algo raro de se ver. As cenas em que conversam sobre pretendentes, as dúvidas acerca da confiança um no outro, a Natasha com o pé no carro enquanto Steve diz pra ela tirar de lá e o beijo dos dois na escada rolante são apenas algumas provas disso.
  • Espaço reservado pra três fodacidades: a Viúva quando ela usa um rosto falso que nem um sacerdote de Braavos, o Nick Fury conseguindo escapar de dezenas de agentes e do motherfuckin’ Soldado Invernal antes de fingir sua própria morte e o Capitão batendo em TODO MUNDO dentro de um elevador apertado.
  • Falcão elevou o patamar de asa delta aq um novo nível. Será que encontro o equipamento dele no MercadoLivre ou no Ali Express? Tava querendo usar.
  • Eu amo foreshadowings. Por isso, pulei de alegria quando o Bucky segurou o escudo do Capitão.
  • Cara, pensar que a HIDRA esteve esse tempo todo infiltrada na S.H.I.E.L.D., e ainda por cima moldando acontecimentos históricos, é assustador. Até porque algo parecido pode estar ocorrendo neste momento, nas sombras que vivem nos topos de hierarquias. Ah, e foi muito bom o que aconteceu com o Zola. Fez todo um discurso dizendo que conseguiu salvar sua mente em HDs poderosos, foi explodido e ainda perdeu a luta no final. Haha.
  • Sharon é uma agente da S.H.I.E.L.D., quem diria. E o que será que vai rolar com o Rumlow, o qual ainda continuou vivo mesmo depois de ser atingido por uma nave gigante? Fica o questionamento.
  • Kkkkkk muito bom o que tava escrito no túmulo do Nick Fury. “O caminho do homem justo…”
  • #ApariçãodoStanLee: um segurança noturno do Smithsonian que percebe que tá totalmente fodido depois que o uniforme original do Capitão foi roubado debaixo de seu nariz. Ah, e só deixar registrado aqui que aquele traje é o mais foda do herói, de longe.
  • Sobre as cenas pós-créditos: Cetro de Loki e uns certos Gêmeos sendo mantidos pelo misterioso Barão Von Stucker, além de Bucky visitando a seção capitão americanesca no museu. O futuro promete.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Steve Rogers/Capitão América (menção honrosa ao Soldado Invernal)
Ele conduz o filme com maestria e em vários momentos nos sentimos dentro de sua cabeça, provando de cada sentimento causado pelos desdobramentos da obra. Em sua essência, ele não é muito carismático, mas não é preciso humor para deixar um personagem atraente. Além do Capitão, o Soldado Invernal também entrega uma solidez impressionante.

Será que estou vivendo ou apenas existindo?

+ Maior evolução: Natasha Romanoff/Viúva Negra
A super-heroína alcança o seu auge até aqui no MCU, com uma química gigantesca junto ao protagonista do longa.

O ápice da Viúva

+ Maior surpresa: Sam Wilson (menção honrosa ao Soldado Invernal)
Uma boa adição ao rol de personagens coadjuvantes. Sua interação com Steve Rogers e o Capitão América na mesma medida dá muito certo. Ah, o Soldado Invernal também surge como um personagem superinteressante, hehe.

CJ e seu Jetpack: SAN ANDREAS, Grand Theft Auto, 2004

+ Mais subestimado: Nick Fury
Ele é mais um dos destaques positivos, e me deixou pensando em por que a Marvel não utilizou melhor esse personagem em cenas de ação. Sério mesmo.

Green Book (2018)

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?