Filmes

MCULeleco #16 – Homem-Aranha: De Volta ao Lar (2017)

• De Volta à Essência

Olha, eu quase não fiz esse pitaco aqui, porque escrevi uma boa crítica do filme há dois anos, horas depois de assisti-lo no cinema. Porém, se eu deixasse de escrever ficaria meio sem sentido, porque eu já havia feito uma postagem repetida de Guardiões da Galáxia Vol. 2  e Capitão América: Guerra Civil. Decidi então fazer o seguinte: eu vou dar o famoso ctrl-C + ctrl-V na seção de spoilers, mas o resto da crítica vou reescrever, desta vez com a ótica de uma nova assistida, e não da primeira. Alguns defeitos surgiram e as qualidades se acentuaram, e vou falar de cada uma delas a seguir.

 

Sinopse

Aos 15 anos, Peter Parker (Tom Holland) ganhou os poderes de uma aranha. Não, ele não solta teias naturalmente, não entra na Floresta Proibida e não come insetos indefesos. Ele ganhou reflexos sobrehumanos, superforça e, por meio de seu talento para a ciência, criou um fluido que se assemelha a uma teia, o qual ele usa pra se locomover entre os prédios e derrotar inimigos. Suas ações em Nova York se tornaram tão notórias que chamaram a atenção de Tony Stark (Robert Downey Jr), que convocou o jovem Homem-Aranha para lutar ao seu lado na Guerra Civil contra o Capitão América e seus companheiros. E Peter teve um bom desempenho.
Com o fim do embate, ele retornou para sua cidade para continuar sua vida normal. Suas preocupações voltaram a ser as tarefas da escola, o baile do colégio e a quedinha pela encantadora Liz Allen (Laura Harrier) em vez das consequências do Tratado de Sokóvia. Ao lado de seu amigo Ned (Jacob Batalon), Peter tenta voltar novamente as atenções para sua rotina, mas depois de ter feito parte dos Vingadores, de certa maneira, mesmo que por um breve momento, não dá pra simplesmente focar os pensamentos exclusivamente nas atividades do dia-a-dia. Em busca de ação, para tentar se provar para Tony Stark e ganhar a oportunidade de participar de novas missões, Peter vai atrás do misterioso Abutre (Michael Keaton), um cara que rouba armas do governo pra vender no mercado negro.

A Mary Jane tá diferente, né

Crítica

Da primeira vez que eu assisti, como você pode conferir nessa postagem (https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/07/homem-aranha-de-volta-ao-lar-2017/), eu classifiquei Homem-Aranha: De Volta ao Lar como o filme mais divertido do MCU, com o melhor Peter Parker e um total de 5 Lelecos. Assistindo pela segunda vez, percebi que ele merece na verdade 4,5. Bom, de fato Tom Holland interpreta o melhor Peter Parker, de longe. Seus momentos como Homem-Aranha também são excelentes, porque ele finalmente faz jus a uma das características mais marcantes do Teioso: a quantidade de diálogos nas lutas. De fato o longa é bastante divertido, principalmente nas partes envolvendo a escola de Peter. E é aí que ressalto o primeiro defeito.
Assim como o próprio personagem principal, De Volta ao Lar se divide basicamente em duas frentes: o arco de Peter e o arco do Homem-Aranha. Apesar de, na lógica, o foco precisar estar na figura do super-herói, o filme se torna muito mais interessante quando se concentra na vida adolescente de Peter. Sério, eu tava querendo muito mais saber como é que ele provaria seu valor pros colegas e os desdobramentos de sua paixão por Liz do que como é que ele conseguiria derrotar o Abutre. Apesar disso, o antagonista de Michael Keaton se credencia como um dos melhores vilões da Marvel, com uma motivação sólida. Pela primeira vez, o MCU mostra o que foi que aconteceu na vida dos cidadãos após a confusão criada em Os Vingadores. Como é que aquilo atingiu até mesmo as carreiras profissionais do povo? Essa questão é bem abordada e faz bastante sentido. Por um lado, a gente até pensa “mano, o Abutre não tá fazendo as coisas tão erradas assim”.
Outro pequeno defeito do filme dirigido por Jon Watts está nas cenas de luta. Elas não são nada memoráveis. É claro que a gente tem que lembrar que o Aranha ainda tá bem inexperiente, mas é fato que as partes de ação não empolgam. A Tia May de Marisa Tomei é meio forçada e também não é uma das melhores coisas da obra. As participações de Tony Stark como mentor de Peter, por outro lado, adicionam bastante à história. As figuras de Michelle (Zendaya) e Flash Thompson (Tony Revolori) são discretas, mas mostram que podem evoluir no futuro. A interação de Peter com Ned é sensacional, e o filme tem uma veia cômica bem acertada.

Tia May sem graça

Veredito

Homem-Aranha: De Volta ao Lar está na mesma prateleira de qualidade de filmes como Vingadores: Era de Ultron e a trilogia do Capitão América, mas escorrega um pouco na ação e em alguns elementos do roteiro. Contudo, os pontos positivos estão MUITO mais presentes do que os negativos, pois pela primeira vez temos um ótimo Peter Parker e um ótimo Homem-Aranha na pele de Tom Holland, que encarnou o personagem de uma maneira ainda não vista nas telonas até então. Além disso, palmas para o Abutre por ser um dos poucos vilões que a Marvel acertou em cheio, e palmas também para o ritmo leve e naturalmente engraçado do quarto capítulo da Fase 3 do MCU. Como fã de carteirinha do Cabeça de Teia, meu coração sorriu em demasia com isso tudo.

Se ele fosse filho do Tony, seu nome seria Ned Stark?

 

Aviso: Tem duas cenas pós-créditos.

 

{Nota: caso eu tenha usado algum termo desconhecido para vocês, meus queridos e queridas leitoras, não hesitem em acessar esse post aqui, ó: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/07/11/glossario-do-leleco/}

{Nota nº 2: quer conhecer melhor a história do blog e os critérios utilizados? Seus problemas acabaram!! É fácil, só acessar esse link: https://pitacosdoleleco.com.br/2017/09/16/wiki-do-leleco/}

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO O FILME. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • A Michelle é na verdade a MJ ou aquilo foi só uma homenagem? Hmmm, eis a questão.
  • E aquele começo com a música-tema do Homem-Aranha? Aaaaaaaa
  • Normalmente as pessoas usam desculpas esfarrapadas para esconder que estavam vendo pornô. Mas não Ned. Ned quer que se foda a lógica.
  • Sobre a única mudança de etnia que eu não gostei: Shocker. Porra, eles tinham o personagem perfeito nas mãos, um cara que se assemelhava na aparência e ainda mais na personalidade do original, eu tava curtindo pra caramba. Aí do nada ele é morto pelo Abutre, dando lugar a um Shocker muito mais sem graça, vamo combinar. Pode ser que ele se desenvolva mais no futuro, mas por enquanto foi um puta vacilo.
  • Aquele plot twist do Abutre ser o pai da Liz é algo que eu nunca esperaria, pqp. O cinema inteiro prendeu a respiração naquele momento.
  • PENSA NUM CARA QUE RIU NAQUELA CENA DO SPIDEY FAZENDO A INTERROGAÇÃO, MEU DEUS.
  • Quando eu disser Pênis vocês dizem Parker, beleza?
  • Eu peguei um pouco de birra desta palavra, mas que referência maravilhosa a do Tony pedindo pro Peter falar com a imprensa. Ai, ai.
  • Por falar em referências, o filme contou com várias, né. As mais óbvias foram a do Spidey puxando as partes do navio e a das “asas” do Abutre que quase atingem o herói, fazendo ele pular da mesma forma que o Homem-Aranha de Tobey Maguire o fez ao fugir do planador do Duende Verde. Como eu adoro esses detalhes, mano.
  • Uma das únicas HQs que eu li na vida foi justamente “Homecoming”, que meu amigo Ricardo me emprestou. A história acaba exatamente com a Tia May descobrindo a identidade do Peter, ainda que sob circunstâncias diferentes. E tô curioso pra saber como ela reagirá a isso, algo nunca antes trabalhado nos filmes do Aranha. Ah, e já que eu mencionei o Ricardo acima, ele também posta críticas de filmes nesse link aqui, ó: https://medium.com/ricardo-e-o-cinema).
  • Sabe aquele cara, Aaron Davis, que é “intimidado” pelo Aranha e tem a sua mão presa com teia no porta-malas? Então, sabe quando ele menciona um certo sobrinho? Bom, é ninguém menos que Miles Morales, o Homem-Aranha de outro universo. Quem viu Homem-Aranha: No Aranhaverso sabe de quem tô falando.
  • Achei que foi até bom não terem mencionado o Tio Ben explicitamente, deixando sua morte sutilmente subentendida naquele diálogo do Peter com o Ned. Ninguém aguentava mais também, né
  • Será que a Torre Stark dará lugar a um prédio de Norman Osborn?
  • Aquela cena em que o Peter usa todas as suas energias pra se levantar dos escombros foi muito forte. Me senti aliviado porque não colocaram uma frase engraçadinha no final dela, embora uma odiável mulher do cinema tenha dito em voz alta um sonoro “Vai, Hulk!”.
  • Que atriz bonita a que faz a Liz, vai se foder.
  • Como é bom jogar Marvel Campeões depois de ter assistido a este filme. Chega dá mais motivação (isso nem é spoiler de nada, mas deu vontade de falar aqui, valeu).
  • Seja bem-vinda de volta, Pepper Potts!
  • Me diverti pakas com o Peter e a Karen. E ainda fiquei sabendo que ela é meio que “irmã” de Jarvis. Deixa tudo ainda mais legal. Ah, e aqui vai um fun fact que meu irmão me falou: a atriz que faz a voz da Karen, Jennifer Connelly, é esposa de Paul Bettany na vida real. Não sabe quem Paul Bettany é? É o cara que faz a voz do Jarvis e que intepreta o Visão.
  • #ApariçãodoStanLee: um morador que reclama do barulho que o Homem-Aranha faz ao disparar um alarme de um carro. Ele até pergunta pra sua vizinha como tá a família e tudo mais.
  • Será que o próximo vilão será o Escorpião? Porque aquela primeira cena pós-créditos deu muito a entender isso. E ah, senti uma vibe meio Sexteto Sinistro também. Seria meu sonho?
  • Sobre a segunda cena depois do final —> Melhor. Cena. Pós-créditos. Ever. Igual eu vi em um comentário de um tal Vitor no Filmow, só a Marvel pra nos fazer de idiotas e nós a amarmos ainda mais por isso.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Peter Parker/Homem-Aranha
Tobey Maguire fez um Aranha lendário, mas um Peter bem bostinha. Andrew Garfield foi um bom Peter e um Aranha legal. Tom Holland conseguiu ser praticamente perfeito nos dois.

Olha, eu prefiro um Ray-Ban, mas estes óculos possuem um certo estilo

+ Maior surpresa: Adrian Toomes/Abutre (menção honrosa a Ned Leeds)
Se tem uma coisa que a Marvel não costuma acertar é nos vilões. Até o presente momento, só tinha feito um bom trabalho com o Loki. Abutre chega pra enriquecer essa área. Ah, e o divertido Ned Leeds é uma surpresa agradável, ainda mais porque eu pensava que ele fosse ser meio forçado, tomando os trailers como base.

O Hamlet Aviário

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?