Séries

Marco Polo: 2ª Temporada (2016)

• Maquinações políticas

Foi muito complicado assistir à segunda temporada de Marco Polo.
Não, não é isto que você está pensando. Não é que a história é chata, é simplesmente porque eu vi a primeira temporada assim que lançou, ou seja, há dois anos. Quando comecei o primeiro episódio dessa nova remessa fiquei bastante confuso pelo fato dos detalhes terem me escapado.
Experimentei assistir àquele pequeno resumo que a própria Netflix faz das suas séries originais. Clareou um pouco, mas ainda assim tive que ler resumos na internet, até porque morro de preguiça de assistir à uma temporada inteira tudo de novo. Mesmo com todos essas ajudas, ainda consegui ficar um pouco perdido mas com o tempo fui relembrando a história.
O enredo começa logo depois dos desdobramentos e consequências dos acontecimentos da temporada anterior. Jia Sidao agora não é mais uma ameaça, descobrimos que Ahmad é um porco traidor (leia com a voz de Renato Russo) e que Marco Polo agora é leal ao império de Kublai Kahn. Devido à revelação da traição de Ahmad, o ponto de vista da série agora é bem diferente, sendo que sabemos as verdadeiras intenções por trás das ações do filho adotivo de Kublai e suas maquinações para tirá-lo do poder.
Porém, o tema principal da temporada não é totalmente relacionado ao Ahmad, mas sim na disputa de poder entre Kublai e Kaidu, seu irmão que o desafia numa eleição para decidir quem deveria ser o verdadeiro imperador mongol. Quase todos os arcos menores acabam tendo influência nesta disputa, talvez com a exceção de Cem Olhos, o monge cego chinês que luta melhor que o Liu Kang do Mortal Kombat. Aqui ele infelizmente aparece muito mais apagado que na primeira, um dos pontos fracos da temporada.
Outros dois personagens que eu havia gostado bastante aqui não brilham tanto – Byamba e Khutulun. Eles só foram ganhando mais espaço da metade pro final da temporada, devido ao foco principal ser o pai da garota, Kaidu. A princesa Kokachin é outra que eu não curti muito aqui, apesar de ela ter sido essencial para a trama.
A disputa de poder entre Kublai e seu irmão é muito bem trabalhada, com os dois tentando conquistar aliados e ganhar apoio para suas respectivas causas. Contudo, apesar da maioria das críticas apontar a segunda temporada como muito superior à primeira, esta aqui não me empolgou muito e por vezes teve momentos que pra mim foram bastante desinteressantes e arrastados. Por outro lado, achei o protagonista Marco muito mais presente e interessante, com muito mais atitude que nos capítulos anteriores.
A produção da série e as cenas de luta continuam fodas, sobretudo a do episódio 7 envolvendo o Cem Olhos. Os momentos de ação também são frenéticos e isto é evidenciado com a adição de alguns novos personagens, como Lótus. Mei Lin, que estava envolvida com vários personagens da primeira temporada, aqui se restringe mais à companhia de Ahmad, e ainda assim consegue ser uma das melhores.
Outro ponto positivo da temporada se chama Príncipe Jingim. Caso você não se lembre, ele era um puta cara chato na primeira temporada, e aqui surpreendentemente aparece muito mais bem-humorado e constrói uma relação de amizade com Marco muito bonita de se ver. Pensar que um dos personagens que eu menos gostava se tornou um dos meus favoritos, vai entender.
A conclusão da temporada é boa e agitada, com os últimos episódios sendo bem movimentados. O jeito agora é esperar uns 3 anos para poder acompanhar a continuação da história de nossos queridos personagens.

 

~ OBSERVAÇÕES SPOILENTAS: NÃO LEIA A NÃO SER QUE JÁ TENHA VISTO A TEMPORADA INTEIRA. O AVISO ESTÁ DADO ~

 

  • Sério, aquela cena do Cem Olhos lutando com a Lótus foi pura arte, fiquei hipnotizado vendo.
  • Que fdp a Chabi, achava ela tão honrada na primeira temporada.
  • Tchau, Nergui :/
  • Nada melhor que ver o corpo de Ahmad pendurado no final.
  • Eu gostava muito do Kublai na primeira temporada, mas no fim fiquei quase torcendo pro Kaidu matá-lo, pena que o Marco tinha outros planos.
  • Mano, fico imaginando o tanto que um parto naquela época devia ser sofrido, ainda mais de gêmeos. Assim dá pra ver o tanto que as mulheres são guerreiras desde o começo dos tempos.
  • Mei Lin mais duas caras que o Harvey Dent.
  • Quando a Igreja começa a se envolver nos assuntos, a porra fica séria.
  • E aquela cena no pôr do sol do episódio 4? Não sou muito de falar isso, mas que fotografia foda.
  • A estratégia de jogar aves em chamas nas cidades é ao mesmo tempo brilhante e macabra.
  • Mãe do Kaidu: melhor pessoa, haha
  • Vacilo demais o Kublai ter matado o menininho.
  • Sempre rio do nome Ling Ling, acho que nunca vou amadurecer.
  • O que será que aconteceu naquele vilarejo que ficou vazio? Só esperando pra saber.

 

~ FIM DAS OBSERVAÇÕES SPOILENTAS. A PARTIR DAQUI PODE FICAR DE BOA SE VOCÊ AINDA NÃO VIU ~

 

+ Melhor personagem: Marco Polo
Com muito mais presença que na primeira temporada, sua lealdade e suas atitudes mostram sua grande evolução.

Marco tá parecendo Jesus de A Paixão de Cristo
Marco tá parecendo Jesus de A Paixão de Cristo

+ Melhor episódio: S02E10 (“The Fellowship”)
Uma season finale poderosa repleta de acontecimentos marcantes e ganchos para as próximas histórias.

Um dia deixarei meu cabelo igual ao do Kublai
Um dia deixarei meu cabelo igual ao do Kublai

 

Ei, você! Tudo joia? Pois é, eu também tô bem. E já que agora temos intimidade, comenta aí o que cê achou da temporada. Opiniões são sempre bem-vindas, e é importante lembrar que nos comentários spoilers estão liberados. Se você não quiser vê-los, corre logo pra assistir e depois volte aqui, beleza?